Mais lidas

    Blogs e Colunas

    Claquete

    Claquete

    O Regresso
    Foto por
    Escrito por Andrey Gonçalves
    Publicado em 21.02.2019, 11:01:00 Editado em 21.02.2019, 11:05:11
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    Sua esposa foi assassinada pelos militares. Motivo? Ela era uma nativa. Mas você não pode se abater, afinal, seu filho ainda está aqui e precisa do seu auxílio. Além de ele ser a pessoa que você mais ama nesse mundo. Sua única lembrança de sua amada.

    Você jurou protegê-lo, jurou guarda-lo, não importa o que aconteça. Até que um dia, alguém, enquanto você estava impossibilitado de se mexer, o mata bem diante dos seus olhos. Enlouquecedor, não é? Pois foi isso que aconteceu com Hugh Glass. 

    E ele quer vingança. 

    O Regresso
    Foto por Reprodução

    O Ano é 1822. O clima no oeste americano não é dos melhores. O ambiente é selvagem e instável. A vida é dura nesse local, nessa época do ano. Porém, neste lugar hostil, ainda existe uma maneira de ganhar a vida: caçando. Vendendo a pele de suas caças.

    Pensando nisso, Hugh Glass vai para o oeste, viver deste comércio. Em uma caçada, ele é atacado por um urso. Após uma violenta batalha, Glass consegue mata-lo, mas a luta o deixa a beira da morte. Três de seus parceiros - um deles sendo seu próprio filho - são incumbidos de cuidar de Hugh, que não consegue andar e tem de ser levado por uma maca.

     É perigoso andar vagarosamente neste local, já que ele é cheio de nativos. Fitzgerald, um dos encarregados pela segurança de Hugh, se cansa do fardo que o parceiro se tornou. Hugh está imóvel, devido aos ferimentos. Fitzgerald o enterra vivo, deixando o “companheiro” para morrer, mas não antes de matar seu filho diante de seus olhos.

    Glass, com extremo esforço, começa a se movimentar. Consegue sair de sua “cova” e vai atrás de sua sobrevivência. Atrás daqueles que mataram a única pessoa que ele amava, seu filho. Dos que o enterraram vivo. Ele vai contra a natureza, contra os nativos, contra o destino, atrás de vingança.

    Dirigido por Alejandro Gonzáles Iñarritu, que possui em seu currículo, Birdman (A Inesperada Virtude da Ignorância); escrito por Iñarritu e Mark L. Smith, baseado no romance homônimo de Michael Punke, que é inspirado na história real de Hugh Glass, O Regresso (The Revenant) é um drama/faroeste americano de 2015.

    O Regresso
    Foto por Reprodução


    O longa levou para casa três categorias do Globo de Ouro: Melhor Filme de Drama, Melhor Diretor e Melhor ator de Drama. Foi indicado a oito categorias do BAFTA, e a doze do Oscar, levado três estatuetas para casa: Melhor Diretor, Melhor Ator e Melhor Fotografia.

    Um filme poético. Com uma fotografia excepcional, em sua maior parte do tempo, no plano contra ploungée - ou seja, de baixo para cima. A trilha sonora, hora com som ambiente, hora estrondosa, encaixou-se perfeitamente ao longa. As atuações, tanto de Leonardo DiCaprio quanto de Tom Hardy, estão espetaculares. Ambos atores tiveram que falar muito através de expressões faciais e corporais, já que o filme não possui muito diálogo.

    O Regresso é esplêndido. Você sente a dor, a agonia, o sofrimento, o frio, o desespero. Você sente o filme. Tê-lo assistido no cinema foi uma experiência incrível. Mas mesmo em casa, o filme é grandioso.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Deixe seu comentário sobre: "O Regresso"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.