Claquete

Max, traga minha capa. O Grinch.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Max, traga minha capa. O Grinch.
Max, traga minha capa. O Grinch.

Por mais que a animação mais recente do longa, estrelado pelo grande Benedict Cumberbatch, esteja em alta, não será dela que falarei hoje, mas sim do clássico de 2000. 

continua após publicidade

Primeiro porque ainda não vi o novo filme. Segundo porque sou fã de Jim Carrey e de sua atuação maravilhosa. Terceiro que amo a dublagem de Guilherme Briggs neste longa. Porém, mesmo com tanto gosto pessoal envolvido, não foram eles que me influenciaram, mas sim o ponto mais importante de toda a trama: suas mensagens.

Não tá lembrado? Então vem comigo que eu explico.

continua após publicidade
Max, traga minha capa. O Grinch. fonte: Reprodução


Diferente de todas os habitantes de Quemlândia, o Grinch odeia o Natal. Para acabar com as festas deste ano, ele resolve fazer um grande plano para impedir que o dia chegue.

Na véspera, o Grinch invade cada casa da pequena cidade e rouba tudo que tenha qualquer relação com o Natal. Seu pensamento era: se ele roubasse cada presente, lembrancinha ou enfeite, não permitiria que a data acontecesse. 

A questão é que nem os cidadãos de Quemlândia, nem o Grinch, entendiam o verdadeiro sentido do Natal.

Dirigido por Ron Howard, que conta em seu currículo com Uma Mente Brilhante e O Código Da Vinci, O Grinch é uma comédia familiar de 2000. Em seu elenco, temos Jim Carrey, como Grinch,  Jeffrey Tambor, como Prefeito Augustus, Christine Baranski, como Martha May, e Taylor Momsen, como Cindy Lou. 

continua após publicidade

Muita gente já viu o Grinch. A questão é que ele é muito mais do que um mero filme natalino de aventura. Ele é nos mostra o quanto é importante aceitarmos aquilo que é diferente do nosso cotidiano.

O Grinch é verde. Diferente de todos os habitantes de Quemlândia. Por tanto, em toda a sua vida ele foi excluído dos demais. Depois de receber tanto ódio gratuito, o personagem se tornou “ruim”, indo viver isolado nas montanhas. 

Max, traga minha capa. O Grinch. fonte: Reprodução

Entende o que eu quero dizer? Depois de passar tanto tempo sendo massacrado, ele resolve “revidar” e acaba se tornando “o” monstro. Tudo porque nasceu diferente.

Por isso este filme é tão importante, principalmente para todo o sentimento de Natal. O Grinch é uma história que nos ensina como é importante convivermos e respeitarmos a diferença dos outros.

Natal é tempo de esperança, alegria, união. Mas também é tempo de aprender que todos somos diferentes. O essencial disso tudo é o respeito que temos para com a diferença do próximo.

Como dizia a propaganda: ser diferente é normal.