Mais lidas

    Blogs e Colunas

    Claquete

    Claquete

    Max, traga minha capa. O Grinch.
    Foto por
    Escrito por Andrey Gonçalves
    Publicado em 26.12.2018, 14:23:00 Editado em 26.12.2018, 14:28:19
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    Por mais que a animação mais recente do longa, estrelado pelo grande Benedict Cumberbatch, esteja em alta, não será dela que falarei hoje, mas sim do clássico de 2000. 

    Primeiro porque ainda não vi o novo filme. Segundo porque sou fã de Jim Carrey e de sua atuação maravilhosa. Terceiro que amo a dublagem de Guilherme Briggs neste longa. Porém, mesmo com tanto gosto pessoal envolvido, não foram eles que me influenciaram, mas sim o ponto mais importante de toda a trama: suas mensagens.

    Não tá lembrado? Então vem comigo que eu explico.

    Max, traga minha capa. O Grinch.
    Foto por Reprodução


    Diferente de todas os habitantes de Quemlândia, o Grinch odeia o Natal. Para acabar com as festas deste ano, ele resolve fazer um grande plano para impedir que o dia chegue.

    Na véspera, o Grinch invade cada casa da pequena cidade e rouba tudo que tenha qualquer relação com o Natal. Seu pensamento era: se ele roubasse cada presente, lembrancinha ou enfeite, não permitiria que a data acontecesse. 

    A questão é que nem os cidadãos de Quemlândia, nem o Grinch, entendiam o verdadeiro sentido do Natal.

    Dirigido por Ron Howard, que conta em seu currículo com Uma Mente Brilhante e O Código Da Vinci, O Grinch é uma comédia familiar de 2000. Em seu elenco, temos Jim Carrey, como Grinch,  Jeffrey Tambor, como Prefeito Augustus, Christine Baranski, como Martha May, e Taylor Momsen, como Cindy Lou. 

    Muita gente já viu o Grinch. A questão é que ele é muito mais do que um mero filme natalino de aventura. Ele é nos mostra o quanto é importante aceitarmos aquilo que é diferente do nosso cotidiano.

    O Grinch é verde. Diferente de todos os habitantes de Quemlândia. Por tanto, em toda a sua vida ele foi excluído dos demais. Depois de receber tanto ódio gratuito, o personagem se tornou “ruim”, indo viver isolado nas montanhas. 

    Max, traga minha capa. O Grinch.
    Foto por Reprodução

    Entende o que eu quero dizer? Depois de passar tanto tempo sendo massacrado, ele resolve “revidar” e acaba se tornando “o” monstro. Tudo porque nasceu diferente.

    Por isso este filme é tão importante, principalmente para todo o sentimento de Natal. O Grinch é uma história que nos ensina como é importante convivermos e respeitarmos a diferença dos outros.

    Natal é tempo de esperança, alegria, união. Mas também é tempo de aprender que todos somos diferentes. O essencial disso tudo é o respeito que temos para com a diferença do próximo.

    Como dizia a propaganda: ser diferente é normal.

     

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Deixe seu comentário sobre: "Max, traga minha capa. O Grinch."

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.