Cotidiano

7º preso sob suspeita de envolvimento no assassinato do jogador Daniel vai ser ouvido na segunda-feira pela polícia

Da Redação ·
Daniel defendeu o Botafogo em 2014: morte trágica após uma festa - Vitor Silva / SS Press / Botafogo
Daniel defendeu o Botafogo em 2014: morte trágica após uma festa - Vitor Silva / SS Press / Botafogo

O delegado Amadeu Trevisan disse, nesta sexta-feira (16), que ouvirá Eduardo Purkote, o sétimo preso por suspeita de envolvimento na morte do jogador Daniel, às 10h de segunda-feira (19), em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

continua após publicidade

Segundo Amadeu Trevisan, Eduardo Purkote, de 18 anos, é suspeito de ter agredido Daniel, de ter quebrado o celular dele e de ter pego na cozinha a faca usada no crime.

O jovem está preso na delegacia de São José dos Pinhais, em uma cela com outros cinco presos. Ele já tinha prestado depoimento antes de ser preso e negou as acusações.

continua após publicidade

Daniel Correa Freitas, de 24 anos, foi encontrado morto, com o órgão sexual decepado, no dia 27 de outubro, perto de uma estrada rural na Colônia Mergulhão, em São José dos Pinhais.

Segundo a polícia, o crime aconteceu depois de uma festa em comemoração ao aniversário de 18 anos da filha do principal suspeito do crime, Edison Brittes Júnior, de 38 anos. Ele confessou ter matado Daniel Correa.

Ele afirmou que cometeu o crime porque o jogador tentou estuprar a mulher dele, Cristiana Brittes, de 35 anos.

continua após publicidade

O delegado responsável pelo caso, Amadeu Trevisan, afirmou que não houve tentativa de estupro e que a família Brittes está mentindo. A defesa da família do jogador também nega a tentativa de estupro.

Além de Eduardo Purkote e da família Brittes, estão presos: Eduardo da Silva, de 24 anos, Ygor King, de 19 anos e David Willian da Silva, de 18 anos. De acordo com a polícia, eles também ajudaram nas agressões contra o jogador.

As informações são da RPC/G1