Revista UAU!

Modelo relata que foi estuprada por Bruno Krupp, preso por matar jovem

A jovem utilizou as redes sociais para divulgar o caso. Krupp está preso preventivamente por ter atropelado e matado um adolescente de 16 anos

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Priscila Trindade contou com detalhes como sofreu o abuso do modelo Bruno Krupp por meio das redes sociais
fonte: Reprodução/Redes Sociais
Priscila Trindade contou com detalhes como sofreu o abuso do modelo Bruno Krupp por meio das redes sociais

O modelo e influenciador digital Bruno Krupp, que está preso preventivamente por ter atropelado e matado um adolescente, de 16 anos, é acuso de estupro por uma modelo. Priscila Trindade utilizou uma rede social para divulgar o caso.

continua após publicidade

Segundo a jovem, o abuso aconteceu há seis anos, eles ficaram na época, mas, após ser vítima de estupro, ela foi desencorajada a revelar o caso. 

"O que aconteceu comigo foi há muitos anos, na época em que conheci ele... Eu o conheci numa roda de amigos, flertamos e depois de alguns flertes aceitei ir até a casa dele em Niterói para irmos a uma festa", contou ela, acrescentando ainda que resolveu dormir na casa de Bruno, pois morava no Rio.

continua após publicidade

Krupp teria deixado Priscila em sua casa e voltado para a festa, só retornando definitivamente depois. “Ele chegou bêbado às 6h da manhã e me pegou à força. Falei várias vezes para ele parar e ele literalmente me forçou. Forçou MESMO. Depois de muito relutar, cedi e foi horrível. Era muito constrangedor porque, se eu gritasse, iria acordar a casa inteira e não tive coragem de ter uma atitude mais drástica. No meio da situação, ele pegou o celular e ainda tentou me gravar sem roupa na cama dele. Fiquei chateada, mas ele falava tanta coisa idiota que eu só pensava em ir embora", disse Priscila através dos stories. 

 A modelo divulgou o caso nos stories do Instagram fonte: Reprodução/Instagram
A modelo divulgou o caso nos stories do Instagram

Ainda conforme a modelo, ela não se sentiu à vontade na época para denunciar o caso, pois se sentiu julgada por ter ficado com Bruno. 

continua após publicidade

Trindade se sentiu encorajada a divulgar o caso após uma outra mulher ir à Delegacia da Mulher de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, para denunciar que foi abusada sexualmente também pelo modelo Bruno Krupp. No entanto, o influencer nega ter cometido o crime. 

Trindade também pediu para que outras possíveis vítimas contassem suas histórias e postou alguns relatos parecidos, sem identificação das meninas e que teria recebido por suas redes sociais. Todos falando de possíveis abusos realizados pelo modelo e influenciador digital.

 A jovem pediu para que outras possíveis vítimas contassem suas histórias fonte: Reprodução/Instagram
A jovem pediu para que outras possíveis vítimas contassem suas histórias
continua após publicidade

Outros inquéritos

Bruno Krupp também é investigado na polícia por acusações de estelionato e estupro.

continua após publicidade

A acusação de estupro foi registrada na Delegacia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá (Deam). Em depoimento, uma mulher relatou que foi até o apartamento de Bruno Krupp e que ele a teria estuprado. No relato, ela diz que pediu que Bruno parasse, sem ser atendida. Ele nega.

A acusação de estelionato foi registrada na 15ª DP (Gávea). Em 2021, uma gerente de um hotel na Zona Sul contou que o cartão de um cliente fora recusado, e o mesmo aconteceu com diversos outros clientes.

Ao conversar com quem teve o cartão recusado, a mulher relatou que todos afirmaram que Bruno Krupp oferecera diárias no hotel a preços menores do que no site do estabelecimento, e que para conseguir a hospedagem por preços mais baratos, os clientes deviam fazer um pagamento em uma conta em nome de outra pessoa.

continua após publicidade

A fraude, segundo a gerente, foi estimada em R$ 428 mil. Krupp teria saído do hotel antes do estabelecimento conseguir contestar os cartões.

Prisão preventiva 

A Justiça do Rio de Janeiro expediu um mandado de prisão contra o modelo e influenciador digital Bruno Krupp, de 25 anos, responsável por atropelar e matar um adolescente no Rio de Janeiro. A prisão aconteceu na manhã desta quarta-feira (3). 

continua após publicidade

Bruno foi encontrado em um hospital no Méier, apesar de ter recebido alta do Lourenço Jorge ainda no domingo. O modelo, que não Carteira Nacional de Habilitação (CNH), atropelou e matou João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, no último sábado (30). 

De acordo com a Justiça do RJ, Krupp responde por homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar. Quando o atropelamento aconteceu, o influencer pilotava uma motocicleta sem placa e em alta velocidade. 

Um policial militar disse em um depoimento que a perna esquerda de João Gabriel foi amputada na hora do impacto e parou 50 metros à frente do acidente.

A perna chegou a ser colocada em uma caixa térmica com gelo para ser preservada, enquanto o estudante João Gabriel era socorrido na pista. Ele chegou a ser levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas não resistiu.

Mais detalhes sobre o atropelamento

Três dias antes de atropelar e matar o adolescente, Bruno foi parado em uma blitz da Lei Seca com a mesma moto que pilotava na noite do acidente. Assim como na noite de sábado (30), na quarta-feira (27), o veículo também estava sem placa.

O modelo recebeu três multas – além da falta de placa e carteira, ele se recusou a soprar o bafômetro – somando R$ 4 mil e teve a moto, um Yamaha cinza, apreendida, mas a recuperou a tempo de pilotar no sábado (30). O veículo foi novamente apreendido, desta vez levado à delegacia.

Com informações do site G1.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News