Cotidiano

Vítimas de ataque em creche têm velório coletivo

Da Redação ·

Nesta quarta-feira (5), as cinco vítimas fatais do ataque que ocorreu em uma creche de Santa Catarina estão sendo veladas coletivamente no Parque de Exposições Theobaldo Hermes, que é o ginásio da cidade. Uma celebração religiosa de corpo presente começou às 9h. O atentado aconteceu na manhã de terça-feira (4) em Saudades, município do Oeste de Santa Catarina. 

continua após publicidade

De acordo com o site NSC, o velório se iniciou nas primeiras horas da manhã desta quarta. E os sepultamentos devem ocorrer logo após a celebração religiosa. 

Confira os nomes das vítimas: 

continua após publicidade

- Keli Adriane Aniecevski, 30 anos, professora

- Mirla Renner, 20 anos, agente educacional

- Sarah Luiza Mahia Sehn, de 1 ano e 7 meses 

continua após publicidade

- Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses  

- Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses 

Durante o ataque, um bebê de 1 ano e 8 meses sofreu ferimentos e precisou ser submetido a um procedimento cirúrgico na tarde desta terça. De acordo com o boletim médico, o quadro clínico da vítima é estável. 

continua após publicidade

O crime

Nesta terça-feira (4),  por volta das 10 horas, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar foram acionados no município de Saudades, em Santa Catarina, para atender uma ocorrência em uma creche. 

continua após publicidade

Um jovem, de 18 anos, invadiu o local e atingiu crianças e professores com um facão. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, ele matou três crianças e dois adultos. O ataque ocorreu na Escola Infantil Pró-Infância Aquarela, que atende crianças de 6 meses a 2 anos de idade.

De acordo com o R7, as crianças que morreram no ataque, duas meninas e um menino, completariam dois anos no segundo semestre deste ano. Elas foram identificadas como Ana Bela, Sara Luisa e Murilo.

Uma professora morreu no local do atentado e outra chegou a ser socorrida e encaminhada a um hospital, porém ela não resistiu aos ferimentos.

O Corpo de Bombeiros Militar confirmou a informação. O Sara Saer/Fron também foi chamado para ajudar no atendimento às vítimas. Até o momento não se sabe o que motivou o homem a cometer o crime. O suspeito foi detido pela Polícia Militar e encaminhado para um hospital logo em seguida.