Apucarana

Após período de férias, diretor do Colégio Canale tira licença médica

Segundo o NRE de Apucarana, ainda não há previsão de quando o diretor vai retomar o posto

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (20), pelo Núcleo Regional de Educação de Apucarana (NRE)
fonte: Arquivo TNOnline
A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (20), pelo Núcleo Regional de Educação de Apucarana (NRE)

Após período de férias iniciado no último dia 28 de junho, o diretor do Colégio Cívico-Militar Padre José Canale, Roberto Carlos de Oliveira, popularmente conhecido como Canela, permanece afastado das atividades, agora por conta de uma licença médica. A secretária do colégio Sandra Aparecida Marchini, continua a frente do cargo, interinamente. A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (20), pelo Núcleo Regional de Educação de Apucarana (NRE).

continua após publicidade

Canela se afastou temporariamente após uma manifestação de pais e alunos ocorrida no dia 27 de junho, em razão da morte do adolescente Alekson, que se envolveu em uma briga próximo à instituição de ensino, ocasião em que o diretor foi alvo de protestos de pais de alunos.

De acordo com o Chefe do NRE Vladimir Barbosa da Silva, uma reunião foi realizada com o diretor na tarde desta terça-feira (19), para decidir o destino profissional do servidor. "Ainda não temos nenhuma definição por parte do diretor a respeito de sua retomada das atividades. Ele agora está de licença médica e também pediu um levantamento na documentação para dar entrada em sua aposentadoria. Vamos aguardar para saber qual será a decisão dele", informou.

continua após publicidade

A respeito do caso de um professor, da mesma instituição, afastado por suspeita de assédio contra alunas, o Chefe do NRE garantiu que o profissional permanece afastado pela secretaria estadual de Educação e não cumpre expediente administrativo.

"Ele permanece afastado pela Seed e não está indo na escola. As investigações sobre o caso estão a cargo no NRE de Wenceslau Braz, que tem uma prazo de até 120 dias para concluir os trabalhos. Um outro caso de assédio que também está sendo investigado envolvendo um professor de Apucarana que dava aulas no Colégio Walfredo Silva Correia , em Arapongas, também está sendo investigado, este, pelo NRE de Ivaiporã", detalhou.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News