Vale do Ivaí

Partiu Nova Zelândia: três alunas do Vale ganham intercâmbio

Estudantes de Rosário do Ivaí, Rio Branco do Ivaí e Lunardelli são selecionadas para morar e estudar durante um semestre no país da Oceania

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Partiu Nova Zelândia: três alunas do Vale ganham intercâmbio
fonte: Arquivo pessoal

Três estudantes da rede estadual da região estão na lista dos 100 alunos selecionados para o intercâmbio da segunda edição do programa "Ganhando o Mundo". Elas partirão em julho para a Nova Zelândia, na Oceania, onde passarão um semestre letivo estudando em um colégio local. Antes de embarcar, farão um curso preparatório de inglês.

continua após publicidade

As três alunas do Vale do Ivaí pertencem ao Núcleo Regional de Educação (NRE) de Ivaiporã: Ana Gabriela da Fonseca Silva, do Colégio Estadual José Rosas, de Rosário do Ivaí; Bruna Gomes Batista, do Colégio Estadual Rio Branco do Ivaí, de Rio Branco do Ivaí; e Eduarda Alves Ferreira, do Colégio Estadual Geremia Lunardelli, de Lunardelli.  

“Estou muito feliz. Sempre foi meu sonho viajar para outro país”, afirma Ana Gabriela da Fonseca Silva, de Rosário do Ivaí. Ela conta que recebeu a notícia por amigos e afirma que a família está “eufórica”. “É a minha primeira viagem internacional e também a primeira viagem de avião”, conta a adolescente, que já começou a preparar a documentação necessária embarcar.

continua após publicidade

Entre os critérios para a seleção dos alunos estava a frequência escolar e, é claro, as notas. O período avaliado foi o ano letivo de 2021. Nesse quesito, Ana Gabriela deu um verdadeiro show. A garota tirou um 9,5 apenas em Português no último trimestre. Todas as outras notas foram 10. Ela ficou na 23ª posição entre os 100 alunos classificados pelo programa estadual. 

Ela conta que se inscreveu para o intercâmbio este ano. Portanto, não fez uma preparação ou focou em tirar boas notas para o concurso. Ana Gabriela comenta que sempre gostou de estudar. Agora, a estudante está ansiosa pela viagem. “Nova Zelândia, aí vou eu”, é a mensagem que ela estava preparando nesta sexta-feira com uma foto do país para postar nas redes sociais.

“Espero aprender bastante sobre outras culturas e também inglês”, diz a garota.  Ela também está pesquisando sobre o futuro destino. “É um povo bem receptivo, que gosta de esportes ao ar livre. Estou bem animada”, conta. 

continua após publicidade

Na escola, o desempenho da adolescente é motivo de orgulho. O diretor Fábio Pereira da Silva comenta que a Ana Gabriela é “uma aluna exemplar”. Segundo ele, o resultado do concurso serve de inspiração para os colegas. “É um incentivo para a maior participação dos alunos nas aulas, que é um dos critérios para conseguir o intercâmbio, e também para que mantenham boas notas durante todo o ano”, afirma o diretor.

O programa Ganhando o Mundo, promovido pelo Governo do Estado, via Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, tem o propósito de oferecer aos estudantes a vivência em uma escola no exterior, hospedados com uma família local, praticando a língua inglesa, desenvolvendo a autonomia e ampliando os repertórios culturais e acadêmicos. Ao retornar ao Brasil, o aluno tem a missão de compartilhar com colegas e professores todo o aprendizado vivido. 

Atualmente, há 100 estudantes da rede estadual no Canadá. Eles chegaram ao país em fevereiro e devem concluir o semestre de estudos nas escolas canadenses e retornar ao Brasil no fim de junho. Entre eles, quatro são da região. 

continua após publicidade

PROCESSO SELETIVO 

A primeira etapa de seleção consistiu na análise dos requisitos obrigatórios para a participação: estar regularmente matriculado na 1ª série do ensino médio em um colégio público da rede estadual, ter cursado do 6º ao 9º ano do ensino fundamental em um colégio da rede pública estadual, ter no mínimo 14 e no máximo 17 anos e seis meses de idade na data de retorno ao Brasil (novembro de 2022), ter frequência igual ou superior a 85% em cada disciplina e ter médias anuais do 9º ano, em 2021, iguais ou superiores a 7 em cada disciplina da Base Nacional Comum Curricular.

Na segunda etapa, foi feita a avaliação das médias anuais de 2021 dos estudantes. Em cada município paranaense, foi selecionado o aluno com a maior nota no ano passado (soma das médias anuais de todas as disciplinas da BNCC). Dessa forma, um estudante de cada município passou para a terceira e última etapa do processo seletivo. Na etapa final, foram selecionados os 100 primeiros colocados.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News