Ex-conselheiro tutelar de Godoy Moreira é condenado a 28 anos de prisão por abusos sexuais - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Região

Ex-conselheiro tutelar de Godoy Moreira é condenado a 28 anos de prisão por abusos sexuais

(Imagem ilustrativa)
Foto por
Escrito por Da redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

A partir de investigações do Ministério Público do Paraná, um ex-conselheiro tutelar do município de Godoy Moreira, no Norte Central do estado, foi condenado a 28 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de estupro de vulneráveis, posse de material pornográfico e aliciamento de crianças para fins sexuais. A decisão, expedida na última sexta-feira, 7 de fevereiro, pela Vara Criminal de São João do Ivaí, sede da comarca, responde denúncia criminal oferecida pela Promotoria de Justiça no município.

De acordo com a apuração do MPPR, o conselheiro tutelar valia-se de sua função para aproximar-se das vítimas – uma criança com então 11 anos de idade e uma adolescente de 13 anos na época dos fatos – e com elas manter contato sexual. Alguns dos crimes ocorreram na própria sede do Conselho Tutelar e também no veículo do órgão. Os fatos ocorreram entre 2018 e 2019.

No curso das investigações, foi constatado que o condenado mantinha contato com as vítimas via celular, induzindo-as a praticar atos sexuais com ele. No aparelho foram encontradas diversas fotos pornográficas das meninas, além de registros das conversas. Os crimes pelos quais o réu foi condenado estão previstos no Código Penal e no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Preso desde maio de 2019, o ex-conselheiro tutelar deverá cumprir a pena em regime fechado.

Com informações do Ministério Público do Paraná. 

Deixe seu comentário sobre: "Ex-conselheiro tutelar de Godoy Moreira é condenado a 28 anos de prisão por abusos sexuais"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.