Região

Polícia não pode fazer buscas a desaparecida

Da Redação ·

Inquéritos em andamento e atendimentos na delegacia de Apucarana impossibilitam a Polícia Civil de fazer hoje (terça-feira) o trabalho de busca e escavações, com o apoio do Corpo de Bombeiros, no local onde supõe-se que possa estar enterrado o corpo de uma mulher desaparecida em 2005. Mesmo com o pouco tempo disponível para esta investigação, apenas cinco dias, os policiais não têm condições de fazer este trabalho, que é hoje uma prioridade da Polícia Civil de Apucarana. Ontem à tarde policiais já estiveram avaliando o local.

continua após publicidade

A luta contra o tempo é para conseguir provas que confirmem as suspeitas de que um homem de 41 anos preso na semana passada, que foi o amásio desta mulher, bem como de outra que desapareceu em 2007, tenha cometido homicídios.

Na tentativa de conseguir provas contra o preso, o delegado adjunto Luiz Carlos Mânica está no Instituto de Criminalística, em Curitiba, que tenta fazer exame de DNA em uma faca, com manchas de sangue encontrada na camionete do suspeito, logo após o desaparecimento de sua outra amásia, Telma de Almeida, 34 anos, em novembro de 2007. Se nestes cinco dias não forem conseguidas provas contra o homem ele deve ser libertado.

continua após publicidade

Elenice Bocardi, 34 anos, desapareceu em 26 de maio de 2005, quando teria ido se encontrar com o suspeito para terminar o relacionamento que durava cinco anos, após isto nunca mais foi vista. Em 2007 após o segundo desaparecimento, o homem foi investigado, mas não conseguiram provas contra ele, naquele período já tinham sido identificadas as manchas de sangue no veículo e em uma faca encontrada no carro. A investigação não prosseguiu. Como não foi feito o exame de DNA, que em média demora 30 dias para ser concluído, agora a polícia tenta em cinco dias resolver este caso.

O homem foi preso na semana passada porque retornou à delegacia para buscar sua camionete que estava apreendida há quase dois anos, pois acreditava que a investigação policial não teve eficácia. Ao receber o pedido de liberação do veículo, o promotor da Vara Criminal, Valter Yuyama, determinou o reinício das investigações. Precisamos de provas, se alguém tiver alguma informação da época dos fatos que possam nos auxiliar entre em contato com a Polícia Civil, solicitou o promotor.

Prorrogada prisão do suspeito de sumiço de mulheres

continua após publicidade

Justiça Criminal de Apucarana prorrogou por mais cinco dias a prisão temporária do homem de 41 anos suspeito de ser responsável pelo desaparecimento de suas duas amásias nos anos de 2005 e 2007. O prazo inicial da prisão venceria nesta terça-feira (19). A decisão judicial se deve a necessidade da Polícia Civil de conseguir provas que comprovem os indícios contra o preso. Há suspeita das mulheres terem sido assassinadas.

Em novembro de 2005, Elenice Bocardi, 34 anos, que viveu romance de cinco anos com o suspeito desapareceu quando teria ido ao seu encontro para por fim ao relacionamento. Em maio de 2007, Telma de Almeida, 34 anos, também desapareceu depois de romper com o amásio após 15 anos juntos e com quem ela tinha uma filha. A mulher sumiu quando estava indo para o trabalho.

Nesta terça-feira a P