Política

STF envia à PGR 2º pedido de investigação contra Bolsonaro no caso MEC

O pedido envolve a suposta interferência do presidente nas investigações da PF que levaram à prisão de Milton Ribeiro

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
A Polícia Federal prendeu, preventivamente, o ex-ministro Milton Ribeiro em 22 de junho
fonte: Cleber Caetano/PR
A Polícia Federal prendeu, preventivamente, o ex-ministro Milton Ribeiro em 22 de junho

Cármen Lúcia, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou para a Procuradoria-Geral da República (PGR) uma nova queixa-crime contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), no caso do suposto esquema de favorecimento ilícito no Ministério da Educação.

continua após publicidade

Nesta terça-feira (28), a ministra acionou a PGR para que o órgão se manifeste sobre pedido de investigação feito pelo deputado Israel Batista (PSB-DF). Na segunda-feira (27), solicitação semelhante foi feita pelo deputado Reginaldo Lopes (PT-MG).

“Considerando os termos do relato apresentado e a gravidade do quadro narrado, manifeste-se a Procuradoria-Geral da República”, escreveu a ministra no despacho.

continua após publicidade

O pedido de Israel Batista envolve a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro (PL) nas investigações da Polícia Federal que levaram à prisão o ex-ministro Milton Ribeiro. Bolsonaro teria alertado Milton, em ligações telefônicas, de possíveis buscas contra ele.

“Segundo o próprio Ministério Público, há elementos que indicariam a possibilidade de vazamento das apurações no caso, com possível interferência ilícita por parte de Jair Bolsonaro”, ponderou Israel Batista, no pedido.

Além dos dois pedidos, a Justiça Federal determinou o encaminhamento ao STF da investigação aberta contra Milton Ribeiro. Ainda não houve nenhuma decisão na Corte.

continua após publicidade

Nesta terça-feira (28), a oposição protocolou pedido de criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suposto esquema de corrupção no Ministério da Educação.


A prisão

continua após publicidade

Polícia Federal prendeu, preventivamente, o ex-ministro Milton Ribeiro em 22 de junho, em uma operação que investiga esquema de corrupção envolvendo pastores evangélicos durante a gestão dele à frente do MEC.

A operação apura o esquema de favorecimento em liberação de verbas do MEC para prefeituras ligadas aos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, ambos integrantes da Assembleia de Deus e sem nenhum cargo na pasta. Os dois também são alvos de investigação da PF.

continua após publicidade

A atuação incluiria pedidos de propina de um líder religioso a um prefeito para facilitar acesso a recursos da pasta. Para agilizar o direcionamento de fundo orçamentário proveniente do ministério, o pastor Arilton Moura teria solicitado R$ 15 mil e 1 kg de ouro ao prefeito do município de Luís Domingues (MA), Gilberto Braga (PSDB).

O Ministério da Educação afirma, em nota, que vai colaborar com as investigações e que o governo federal “não compactua com qualquer ato irregular”. A sede da pasta, em Brasília, foi alvo de buscas da Polícia Federal.


Fonte: Informações do Metrópoles.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News