Paraná

Diretora é afastada após apresentação para mães em escola

A cantora falou sobre o caso nesta quarta-feira (4), ela contou que recebeu diversas ameaças e precisou até desativar as redes sociais

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Diretora é afastada após apresentação para mães em escola
fonte: Reprodução

Após a polêmica em uma apresentação em homenagem ao Dia das Mães, na Escola Municipal Parigot de Souza, em Rolândia, no norte do Paraná, na última segunda-feira (2), a secretaria de Educação informou que, durante reunião com a Procuradoria Geral do Município, e, após os fatos ocorridos, a diretora foi afastada por 60 dias, além de outras medidas.

continua após publicidade

De acordo com a secretaria, uma sindicância foi aberta para apurar os fatos e foi nomeada uma diretora interina para a instituição. "As medidas têm efeito a partir de hoje, 4 de maio", informou o órgão através de nota.  

A cantora, que atende pelo nome artístico Monike, falou sobre o caso nesta quarta-feira (4). Durante entrevista para o repórter Ted Perez, da Rádio Cobra FM, ela contou que recebeu diversas ameaças e precisou até desativar as redes sociais. A artista pediu desculpas. "Eu errei completamente, assumo meu erro, não tive tempo de pensar direito, poderia ter analisado um pouco mais antes de cantar. Cantei quatro músicas, depois fui para a canção da Marília Mendonça, quando cantei, me dei conta que no meio na música tinha uma palavra que não cabia naquele ambiente, durante a canção, eu não falei a palavra, no entanto as crianças sabiam a letra da música e elas cantaram. Eu cantei também uma música em homenagem às mães do Rick Renner, depois, vi a alegria das crianças, então me veio a ideia de cantar uma música do Tik Tok, as crianças já sabiam a coreografia, não ensaiaram, a diretora não tem culpa nenhuma. As crianças ensaiaram um louvor, que foi apresentado. Quando comecei a cantar a música do Zé Felipe, a diretora já veio me falar que eu não poderia cantar uma música assim, que algumas mães estavam incomodadas, e eu interrompi a apresentação. Realmente não era um ambiente para essas músicas, mas foi tão natural da minha parte, não tive essa intenção de gerar polêmica. Estou recebendo ameaças, pessoas me ofendendo, não houve maldade da minha parte. Estava vivendo uma fase tão feliz, fui levar alegria para crianças, saí das redes sociais, estou passando por um momento muito difícil", disse Simone de Lima Ferreira, ao repórter. 

continua após publicidade

Entenda a polêmica: 

Uma artista convidada pela escola “puxou”, entre outras músicas, um funknejo dos mais populares da cena musical do momento, o “Malvada”, de Zé Felipe, cuja letra, nada sutil, fala de sexo. “Coloca o capacete, que lá vem pedrada”, recomenda, logo de cara, a letra da música que gerou a polêmica na escola.

O que era para ser uma apresentação em homenagem ao Dia das Mães, na Escola Municipal Parigot de Souza, em Rolândia, no norte do Paraná, virou polêmica nas redes sociais, com uma discussão moral. Uma artista convidada pela escola “puxou”, entre outras músicas, um funknejo dos mais populares da cena musical do momento, o “Malvada”, de Zé Felipe, cuja letra, nada sutil, fala de sexo. “Coloca o capacete, que lá vem pedrada”, recomenda, logo de cara, a letra da música que gerou a polêmica na escola.

continua após publicidade

E, considerando as informações iniciais, ninguém da escola estava esperando que essa e outras músicas do gênero fizessem parte da apresentação para as mães. A secretária municipal de Educação, Leise Camargo, informou que o caso está sendo apurado. Ela esteve reunida na manhã desta quarta-feira (04) com a direção da escola.

Logo ao final da apresentação, na quadra esportiva da escola, mães de alunos passaram a se manifestar com o repertório musical. Rapidamente as queixas ganharam as redes sociais, envolvendo a direção da escola e chegou à secretaria municipal, que chegou a emitir uma nota de esclarecimento sobre o caso.

Segundo a secretária, em entrevista à imprensa, a direção da escola teria consultado a secretaria sobre a possibilidade de convidar uma artista para fazer a apresentação às mães, com músicas sertanejas e de louvor. O que foi autorizado.

continua após publicidade

“Mas infelizmente, aconteceu isso. A pessoa cantou a música. A diretora não esperava que isso acontecesse”, disse a secretária sobre o caso, prometendo fazer uma apuração para “dar uma satisfação à comunidade escolar e à população”.

Leise Camargo reitera que a apresentação específica das músicas com teor sexual teria sido “uma surpresa para todos”, inclusive para a direção da escola. “Houve ensaios durante a semana e eram músicas de homenagem às mães”, explica.

continua após publicidade

De fato, conforme os vídeos que circularam sobre a apresentação musical na escola Parigot de Souza, há a apresentação de uma música de louvor, em que as crianças acompanham a artista convidada. Em outros momentos, no entanto, a artista canta ‘Malvada’, de Zé Felipe, e ‘Esqueça-me se for capaz’, das cantoras Marília Mendonça e Maiara e Maraísa. As músicas são bastante conhecidas, tanto que é possível ver nos vídeos que as crianças acompanham a artista, inclusive fazendo as coreografias.

Em entrevista, a secretária de Educação de Rolândia disse que o fato “é lamentável”. Segundo ela, todas as escolas da rede municipal, incluindo as Cmeis, são orientadas e só usam músicas condizentes com a faixa etária das crianças. “A orientação é de só usar músicas que venham a valorizar, a acrescentar na vida das crianças, na formação do cidadão. Respeitamos o gosto musical de todos, mas dentro da escola não podemos trabalhar com músicas inapropriadas para a faixa etária. É um cuidado que todas tomamos. Muitas vezes até criança quer trazer música e professor ouve antes. Esse fato foi uma surpresa”, disse a secretária. VEJA A APRESENTAÇÃO:   null - Vídeo por: Reprodução