Geral

Consórcio estatal russo vende armas de defesa antiaérea ao regime sírio

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 13 de fevereiro (Folhapress) - A Rússia continua com a venda de armas de defesa à Síria, entre elas, sistemas de defesa antiaéreos, admitiu nesta hoje Anatoli Isáykin, diretor-geral do Rosoboronexport, o consórcio estatal russo para a exportação de armamento.

Isaykin alegou que "não há sanções" do Conselho de Segurança da ONU que impeçam as exportações de armas à Síria.

"Continuamos cumprindo com nossas obrigações contratuais de provisão de armas. Mas não são armas de caráter ofensivo", explicou o funcionário, e detalhou que a Rússia não vende "tecnologia aérea" à Síria.

A Rússia, aliada do ditador sírio Bashar al-Assad, junto com a China usaram seu poder de veto como membros permanentes no Conselho de Segurança de ONU para bloquear resoluções que ameaçam sanções ao regime sírio.

No ano passado, a então secretária de Estado americana, Hillary Clinton, acusou a Rússia de vender helicópteros ao regime do ditador Bashar al Assad.

Isáykin desmentiu os rumores de que o Rosoboronexport forneceu à Síria armamentos no valor de US$ 1 bilhão e negou a venda de sistemas de mísseis de ataque Iskander.

O total de mortos na guerra civil na Síria se aproxima de 70 mil, de acordo com dados da ONU divulgados nesta terça-feira pelo Alto Comissariado de Direitos Humanos.
 

continua após publicidade