MAIS LIDAS
VER TODOS

Economia

Riscos fiscais ainda pesam para mudança de nota, diz Moody’s

No comunicado divulgado na quarta-feira, a Moody's afirmou que, apesar das reformas estruturais dos últimos anos no Brasil, ainda existem "riscos para a execução, por parte do governo, da consolidação orçamentária contínua". Essa dúvida sobre a organizaçã

Célia Froufe, Bianca Lima e Francisco Carlos de Assis (via Agência Estado)

·
Escrito por Célia Froufe, Bianca Lima e Francisco Carlos de Assis (via Agência Estado)
Publicado em 02.05.2024, 07:11:00 Editado em 02.05.2024, 07:14:41
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

No comunicado divulgado na quarta-feira, a Moody's afirmou que, apesar das reformas estruturais dos últimos anos no Brasil, ainda existem "riscos para a execução, por parte do governo, da consolidação orçamentária contínua". Essa dúvida sobre a organização das contas públicas, acrescentou a agência de avaliação de risco, pesou para a manutenção do rating do País - Ba2, patamar de mercado de investimento de risco especulativo.

continua após publicidade

"A afirmação do rating Ba2 está baseada na força fiscal ainda relativamente fraca do Brasil, dado o nível elevado de endividamento do País e sua fraca capacidade de pagamento da dívida, que permanece sensível a choques econômicos ou financeiros", justificou a agência.

Ainda para a Moody's, o novo arcabouço fiscal pode levar, num ambiente de crescimento estável, a "uma queda dos déficits fiscais primário e nominal do Brasil em 2024-2025, como resultado de medidas relacionadas à arrecadação fiscal". Mas também neste ponto existe a advertência de que a dependência do governo em aumentar a arrecadação e uma capacidade restrita de cortar gastos representam riscos para o ajuste das contas públicas.

continua após publicidade

Ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, o economista Márcio Holland concorda que o arcabouço fiscal precisa de aperfeiçoamentos e que não é suficiente para estabilizar a relação dívida/PIB. Mas ele ressalta que não deixa de ser um instrumento de contenção de despesas.

Holland cita também que o Brasil deve estar sendo visto pelas agências de classificação de risco por ter aprovado uma reforma tributária após mais de três décadas de discussão e enviado ao Congresso um projeto de leis complementares para regulamentação da reforma com mais de 400 artigos.

"Esse projeto de leis complementares também precisa ser aperfeiçoado, mas é uma peça muito bem articulada", disse Holland, hoje professor da Fundação Getulio Vargas (FGV).

continua após publicidade

'Trajetória sustentável'

Em nota divulgada pelo Tesouro Nacional, o Ministério da Fazenda deu ênfase ao novo arcabouço fiscal. "A agência (Moody's) reconhece o papel do arcabouço para a consolidação fiscal, levando à redução gradual dos déficits, e enfatiza a importância da manutenção da credibilidade deste para a redução das incertezas a respeito da trajetória fiscal", afirma a nota.

A pasta reafirmou o compromisso com uma "trajetória sustentável para as contas públicas, combinando esforços para melhorar a arrecadação e para conter a dinâmica das despesas".

continua após publicidade

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, vem sendo cobrado a realizar um ajuste também pelo lado das despesas, em meio aos sinais de esgotamento das medidas arrecadatórias, mas ainda há poucas medida concretas - e a maior parte delas anunciadas pelo Planejamento e Orçamento, da ministra Simone Tebet.

Além disso, há pressões contrárias vindas da ala política do governo para que haja uma ampliação dos gastos devido à proximidade das eleições municipais.

As informações são do jornalO Estado de S. Paulo.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Economia

    Deixe seu comentário sobre: "Riscos fiscais ainda pesam para mudança de nota, diz Moody’s"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
    Compartilhe! x

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!