Economia

Japão intervém no câmbio e BC afrouxa política

Da Redação ·
Japão intervém no câmbio e BC afrouxa política
fonte: planetim.com.br
Japão intervém no câmbio e BC afrouxa política

O Japão vendeu 1 trilhão de ienes (12,6 bilhões de dólares) e o banco central afrouxou a política monetária, em um movimento para conter a alta da moeda.

continua após publicidade

A intervenção puxou o iene para além de 79,90 ienes contra o dólar, mínima em três semanas, ante 77,10 antes.

continua após publicidade

O ministro das Finanças japonês, Yoshihiko Noda, disse que o Japão consultou outros países, mas interveio por conta própria para conter oscilações cambiais que, segundo ele, são especulativas e desordenadas.

continua após publicidade

Horas depois, o banco central do país aumentou em 5 trilhões de ienes, para 15 trilhões, a quantia de ativos que pretende comprar sob um programa estabelecido em outubro de 2010 para aumentar a confiança do mercado na economia.

Analistas duvidavam, porém, que as medidas sejam capazes de reduzir a aversão ao dólar e aos investimentos de maior risco se Tóquio continuar agindo sozinho.

continua após publicidade

Operadores disseram que o Japão vendera mais de um trilhão de ienes até agora nesta quinta-feira, um dia depois que a Suíça surpreendeu os mercados ao cortar a taxa básica de juros para tentar enfraquecer o franco suíço.

continua após publicidade

Os investidores têm considerado o franco suíço e o iene como refúgios seguros entre as moedas do G10 contra a crise de dívida europeia e a desaceleração econômica nos Estados Unidos.

continua após publicidade

Analistas disseram que a redução do juro básico na Suíça pode ter incitado o Japão a intervir mesmo com o iene abaixo de 76,25 por dólar, a máxima recorde alcançada pouco após o terremoto de março.

O Banco do Japão deixou a taxa básica de juros estável, entre zero e 0,1 por cento.

Com os juros perto de zero, o BC tem usado o tamanho das compras de ativos como principal ferramenta de política monetária.

(Por Stanley White e Leika Kihara; reportagem adicional de Rie Ishiguro)