Cotidiano

Bolsonaro: “É quase impossível eu não ganhar no 1º turno”

O presidente da República voltou a afirmar que não deve participar dos debates no primeiro turno das eleições

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Bolsonaro: “É quase impossível eu não ganhar no 1º turno”
fonte: JP Rodrigues/Metrópoles

Nesta segunda-feira (06), ao ser questionado sobre a lisura do pleito, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), afirmou que "é quase impossível" que não ganhe as eleições de 2022 em primeiro turno. Bolsonaro também reafirmou que não deve comparecer aos debates.

continua após publicidade

“É uma questão de estratégia no primeiro turno. Nenhum presidente participou [de debates]. Então, quero deixar em aberto. Se eu falar: vou participar e depois não vou, vão me atacar. Se eu [digo que] não vou e depois vou, me atacam. Então, deixo aberto. Eu vou esperar um pouco mais acontecer”, disse Bolsonaro em entrevista ao canal Agro+, da Band.

O chefe do Executivo federal também disparou vários ataques aos ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

continua após publicidade

“Em havendo segundo turno, espero que haja. Ô ministros Fachin, Barroso e Alexandre de Moraes: pelo que se vê nas ruas comigo, é impossível não ter segundo turno, ou é quase impossível eu não ganhar no primeiro turno. Espero que nada de anormal aconteça. Estamos trabalhando para que flua numa normalidade as eleições”, prosseguiu.

Na sequência, Bolsonaro voltou a criticar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Agora, o Lula, com toda certeza, vai fazer de tudo para não comparecer a debate. Ele não vai querer participar de nada. As andanças dele pelo Brasil ele não é recebido e quando é, é vaiado”.

O atual mandatário tem condicionado sua participação nos debates ao comparecimento do adversário. Segundo a última pesquisa Datafolha, divulgada no fim de maio, o ex-presidente Lula tem 48% das intenções de voto, ante 27% de Bolsonaro.

continua após publicidade

Bolsonaro voltou a levantar dúvidas sobre a lisura do pleito de outubro e questionou relações de amizade de ministros indicados ao Supremo por ex-presidentes petistas.

“No meu tempo lá atrás, ganhava a eleição quem tinha voto dentro da urna. Agora, parece… Eu quero que esteja errado – é um direito meu desconfiar, é um direito meu desconfiar –, eu espero que não ganhe eleições quem tem amigo para contar o voto dentro do TSE”, disse Bolsonaro.


Fonte: Informações do Metrópoles.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News