Estudante é condenado à prisão perpétua por estuprar 48 homens - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

    Cotidiano

    Estudante é condenado à prisão perpétua por estuprar 48 homens

    Foto por
    Escrito por da redação
    Publicado em Editado em
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

    Um estudante indonésio de 36 anos foi condenado por 159 crimes sexuais, incluindo 136 estupros. Reynhard Sinaga foi considerado culpado de atrair 48 homens que estavam em casas noturnas de Manchester, no Reino Unido, para seu apartamento, onde os drogava e atacava — filmando os abusos. A polícia diz, no entanto, ter evidências de que ele tenha feito pelo menos 190 vítimas.

    Ele foi condenado à prisão perpétua, com direito a liberdade condicional após cumprir uma pena mínima de 30 anos de prisão.

    O julgamento também permitiu que ele fosse identificado pela primeira vez.

    O Ministério Público britânico (CPS, ou Crown Prosecution Service) afirmou que Sinaga era "o estuprador com maior número de casos da história jurídica britânica".

    O estudante já estava cumprindo prisão perpétua, com uma pena mínima de 20 anos, pelos crimes pelos quais fora condenado em dois julgamentos anteriores, que ocorreram no verão de 2018 e na primavera passada.

    Em quatro julgamentos separados, o cidadão indonésio foi considerado culpado de 136 acusações de estupro, oito acusações de tentativa de estupro, 14 acusações de agressão sexual e uma acusação de agressão com penetração, contra um total de 48 vítimas.

    Na audiência, a juíza Suzanne Goddard disse que Sinaga "atacava homens jovens" que queriam "nada mais que uma boa noitada com seus amigos".

    (Do G1)

    Gostou desta matéria? Compartilhe!
    TNTV
    TNTV

    Como reestruturar e garantir a sobrevivência do meu negócio?

    Deixe seu comentário sobre: "Estudante é condenado à prisão perpétua por estuprar 48 homens"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.