Cotidiano

Aluna é estuprada dentro de campus universitário em Curitiba e estudantes organizam protesto

Da Redação ·
Retrato falado de suspeitos de estupro em universidade - Reprodução/Polícia Civil
Retrato falado de suspeitos de estupro em universidade - Reprodução/Polícia Civil

A Delegacia da Mulher investiga um possível caso de estupro ocorrido dentro da Universidade Positivo, em Curitiba. O crime foi em 18 de abril, por volta das 21 horas, e segundo a Polícia Civil, a jovem de 19 anos só informou a família e registrou o Boletim de Ocorrência no dia 3 de maio por causa do medo e do trauma. O crime ocorreu próximo a um rio e a uma área de caminhada da universidade  que fica no Campo Comprido

continua após publicidade

Um retrato falado dos dois estupradores com base na descrição da vítima já circula nas redes sociais.  Um com a idade aproximada de 25 anos e outro de 30.

Conforme foi relatado à polícia, a estudante atravessava uma das passarelas do prédio quando foi atacada pelos homens. Eles taparam a boca da jovem e a levaram para uma região de mato. Lá ocorreu o estupro, sem ninguém presenciar o crime, contou a universitária, que fez o exame de corpo delito duas semanas depois do crime.

continua após publicidade

Alunos da universidade se mobilizam nas redes sociais para que o caso seja esclarecido e também para realizar manifestação pedindo que o local tenha mais segurança. Um dos posts diz: “Precisamos da ajuda de vocês. Estes dois monstros são acusados de estuprarem uma estudante da Universidade em que estudo. Por sinal, o crime ocorreu dentro do campus. Peço a todos que não deixem este post morrer e se souberem de algo comuniquem a polícia – #DigaNaoAoEstupro

Aluna é estuprada dentro de campus universitário em Curitiba e estudantes organizam protesto fonte: Reprodução

Convocação para protesto na terça-feira na UP – Reprodução redes sociais

Protesto na terça-feira
O protesto dos estudantes foi marcado, por meio das redes, para terça-feira (9), às 19 horas, na ponte do Lago dentro do Campus, onde a estudante foi abordada pelos dois homens. O protesto é chamado de “Estupro não é nada Positivo”. O caso é investigado sob sigilo pela Delegacia da Mulher (DM).

continua após publicidade

Por meio de uma nota oficial, a Universidade Positivo afirmou que está colaborando com as autoridades para esclarecimento dos fatos e que prioriza o acolhimento e o atendimento à aluna e a família dela.

A instituição disse ainda que criou um comitê para estudar possibilidades de melhoria na estrutura de segurança, com participação de especialistas e representantes de alunos e funcionários.

Leia a íntegra da nota da universidade

continua após publicidade

“No dia 3 de maio, a Universidade Positivo recebeu um relato de uma aluna, referente a uma ocorrência que teria acontecido em 18 de abril. Orientada pela UP, a estudante procurou a polícia e os eventos narrados estão sendo apurados pelos órgãos competentes, com colaboração da instituição.

O momento é de investigação policial, no qual é importante evitar boatos, especulações e qualquer atitude que atrapalhe o trabalho dos órgãos competentes. A UP está colaborando ao máximo com as autoridades para o esclarecimento dos fatos, assim como prioriza o acolhimento e o atendimento à aluna e sua família neste momento difícil.

A Universidade Positivo informa ainda que criou um comitê para estudar possibilidades de melhoria em toda a estrutura de segurança, do qual participarão especialistas e representantes de alunos e funcionários da instituição. As portas e os canais estão abertos para acolhimento e pleno apoio aos alunos e às famílias, tanto via nossos professores e coordenadores como pela ouvidoria da instituição.”, ressalta a UP em nota.

As informações são do portal da Banda B