Cotidiano

Com 74 locais de prova ocupados, 41 mil alunos terão Enem adiado no PR

Da Redação ·
Movimento Ocupa Paraná divulgou nota em sua página no Facebook na tarde desta terça-feira orientando para a reocupação das escolas - Foto: Ocupa Paraná
Movimento Ocupa Paraná divulgou nota em sua página no Facebook na tarde desta terça-feira orientando para a reocupação das escolas - Foto: Ocupa Paraná

 As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram adiadas para 41.168 alunos do Estado do Paraná, por conta de 74 locais de prova que ainda permanecem ocupados por estudantes. Conforme o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as provas para esse estudantes serão realizadas nos dias 3 e 4 de dezembro. A lista com todas as escolas ocupadas foi publicada ainda nesta terça-feira (1) no site do Inep.

continua após publicidade

No Brasil, são 304 locais de aplicação de prova ocupados no país e 191.494 dos 8,7 milhões de inscritos não poderão fazer a avaliação no próximo fim de semana. Os inscritos afetados pelas ocupações serão avisados pelo Inep por meio de SMS, e-mail e divulgação no site. Será possível, ainda, acessar o aplicativo Enem 2016 ou se informar pelo 0800-616161.

De acordo com o Inep, a mudança dos locais de prova na véspera da aplicação coloca em risco a segurança do Enem. “O exame exige um plano logístico de distribuição do material, com rotas pré-definidas, escoltas policiais e efetivo policial destacado para a operação". 

continua após publicidade

A alteração desses locais exige que todo o material para readequação da nova logística seja reprocessado. O local requer, ainda, estrutura mínima para receber a aplicação, ter acessibilidade para deficientes físicos (banheiros adaptados, mobiliário adequado para cadeirantes, surdos, cegos e à faixa etária), além de salas extras e estudo de plano de risco”, disse o instituto.

Reocupação na mira
O Movimento Ocupa Paraná divulgou nota em sua página no Facebook na tarde desta terça-feira orientando para a reocupação das escolas no Estado. O argumento para a decisão é a “falta de diálogo” com o governo, que, segundo os alunos, teria cortado o fornecimento de energia elétrica e água no Núcleo Regional de Educação (NRE), no bairro São Francisco, em Curitiba.

Clique aqui e veja vídeos de manifestação nesta terça-feira em Curitiba

Com informações do portal Banda B