Cotidiano

Coleção de uma centena de cérebros de vítimas do nazismo é achada na Alemanha

Da Redação ·
Os cerca de 100 cérebros humanos descobertos na Alemanha têm um ou mais buracos no crânio feitos com broca neurocirúrgica - Foto: © flickr.com/ Kaushik Narasimhan/br.sputniknews
Os cerca de 100 cérebros humanos descobertos na Alemanha têm um ou mais buracos no crânio feitos com broca neurocirúrgica - Foto: © flickr.com/ Kaushik Narasimhan/br.sputniknews

Uma coleção de cérebros de supostas vítimas do nazismo foi localizada durante a reconstrução do Instituto de Psiquiatria da Sociedade Max Planck, em Munique, de acordo com o portal br.sputniknews.

continua após publicidade

Conforme fontes da Sociedade Max Planck, os cerca de 100 cérebros humanos trepanados (com abertura de um ou mais buracos no crânio feitos com broca neurocirúrgica)  pertenciam ao neurocientista alemão Julius Hallervorden, membro do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães - (NSDAP). 

Ele foi o chefe do Departamento de Pesquisa do Cérebro do Instituto Imperador Guilherme II, rebatizado posteriormente de Instituto de Psiquiatria da Sociedade Max Planck.   

continua após publicidade

PARCEIRO DE MENGELE
A matéria aponta que Hallervorden recebia regularmente amostras médicas do Dr. Josef Mengele, conhecido por seus experimentos criminosos com prisioneiros do campo de concentração de Auschwitz. Desta forma, foi concluído que os cérebros descobertos pertencem a vítimas do Holocausto e estão ligados a pesquisas médicas do Terceiro Reich.  

Paralelamente a descoberta, uma investigação com foco no achado dos cérebros está em curso na Alemanha, inclusive para possível identificação das vítimas.