Mais lidas
Cotidiano

Mais quatro trechos de estradas danificados pelas chuvas são liberados no Paraná

.

Diversas máquinas pesadas estão trabalhando na área onde o asfalto cedeu na PR-444, em Arapongas, abrindo uma cratera de aproximadamente 15 metros de profundidade - Foto: Sérgio Rodrigo
Diversas máquinas pesadas estão trabalhando na área onde o asfalto cedeu na PR-444, em Arapongas, abrindo uma cratera de aproximadamente 15 metros de profundidade - Foto: Sérgio Rodrigo

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) confirmou nesta sexta-feira (5) QUE liberou mais quatro trechos de estradas que estavam com tráfego em meia pista, na região Noroeste, em razão das fortes chuvas de janeiro. Na PR-218, entre o Distrito de Graciosa e Amaporã, e no acesso a Astorga, o tráfego já está fluindo normalmente. Os motoristas que passam pela PR-576, no acesso a São José do Ivaí e Santa Mônica, e na PR-317, em Iguaraçu, o trânsito está totalmente liberado. Os quatro trechos estavam em obras para recomposição de aterros e bueiros danificados. As equipes contratadas pelo DER-PR em regime emergencial trabalham em outros trechos para liberar todas as estradas.

Os locais em obras estão bem sinalizados. Depois do feriado de Carnaval os trabalhos serão retomados e intensificados. Atualmente, há 15 pontos de interdição, sete deles com o tráfego bloqueado totalmente. Nos demais, o trânsito está liberado em meia pista ou com desvio no local. Confira a lista de trechos com interdições no Estado: 

NOROESTE - PR-218, entre Amaporã e Planaltina do Paraná, km 402. As equipes trabalham na recomposição do bueiro e do aterro. O tráfego deve ser parcialmente liberado em março (interditado). -

PR-218, entre Paranavaí e Graciosa, km 365. As equipes fazem a recomposição do aterro e do bueiro. O tráfego deve ser parcialmente liberado em fevereiro (interditado). -

PR-323, acesso a Tapejara. A recomposição da pista está em andamento e a previsão é que o trecho será totalmente liberado até o final de maio (tráfego por desvio). 

PR-486, acesso a Alto Piquiri. O levantamento topográfico foi concluído. Estão em andamento o projeto e o orçamento para recomposição do aterro (tráfego interditado, com desvio no local). 

PR-486, acesso a Brasilândia do Sul, km 98 e km 122. A recomposição do aterro é executada. (tráfego interditado, com desvio no local). - PR-218, acesso a Ângulo. O projeto e os orçamentos para a obra já foram concluídos (tráfego em meia pista). 

PR-494, acesso a São João do Caiuá. O levantamento topográfico da ponte sobre o Rio São Francisco está em andamento. (tráfego interditado). - PR-680, entre Maria Helena e Vila Formosa, km 7. Erosão no trecho. (tráfego em meia pista). 

PR-458, Florida e Atalaia, km 51. As equipes já concluíram a elaboração do projeto e o orçamento para recomposição do aterro da cabeceira da ponte do Rio Pirapó (tráfego interditado). -

PR-542, Alto Alegre a Colorado. O levantamentos topográfico está sendo feito para recomposição de bueiro (tráfego em meia pista ) 

NORTE
 - Na PR-436, km 102, (Ponte Rio das Cinzas). Será instalado uma balsa até que o trecho seja totalmente recuperado. A travessia poderá ser feita por veículos leves, sem cobrança para os usuários. Também está em andamento o levantamento topográfico para recuperar a ponte sobre o Rio das Cinzas, entre Bandeirantes e Itambaracá. Os motoristas devem seguir por Andirá (tráfego interditado). 

Zona Sul de Londrina está isolada devido à queda de barreiras (Foto: Gracielly Terziotti/arquivo pessoal)


PR-538, em Londrina. As equipes fazem o levantamento topográfico e elaboram o projeto básico para contratação de uma empresa, por regime emergencial, para recuperar a ponte do Rio Bandeirantes

CAMPOS GERAIS - PR-092, em Wenceslau Braz. Houve queda do aterro, problemas no bueiro e deslizamento da pista. A empresa iniciou os trabalhos para fazer um desvio no local, que deve ser concluído em 15 dias. Em seguida, começam os trabalhos de recuperação da rodovia (tráfego interditado). 

CONCESSIONADOS - PR-444, em Arapongas. Houve rompimento da rodovia entre os km 1 e 2. Motoristas que trafegam pela região devem passar por dentro de Arapongas para acessar o km 5 da rodovia. O trecho é de responsabilidade da concessionária Viapar. O local já foi sinalizado e as equipes já estão trabalhando. O prazo para liberação é de 20 dias (tráfego interditado). -

BR-376, Serra do Cadeado, km 303, sentido Curitiba. O pavimentos foi danificado. A concessionária Rodonorte, responsável pelo trecho, executa serviços no local. A previsão é liberar a rodovia em seis meses (tráfego meia pista).

Fonte: AEN

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber