Apucarana

Ocupação de leitos diminui na região, taxa ainda é alta

Estado aplicou reforço de 27 novos leitos divididos para Apucarana e Arapongas; cuidados devem ser mantidos.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Ocupação de leitos diminui na região, taxa ainda é alta
Ocupação de leitos diminui na região, taxa ainda é alta

A taxa de ocupação de leitos para Covid-19 nos hospitais da região da 16ª Regional de Saúde (RS) de Apucarana apresentou queda nesta quinta-feira (27), de acordo com o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). Os números são resultados de um reforço de 27 novos leitos para os hospitais de referência no tratamento da Covid-19 da região, ativados pelo Governo do Estado.

continua após publicidade

São 11 novos leitos de enfermaria para o Hospital da Providência, em Apucarana, outros 10 leitos de enfermaria para o Hospital Norte do Paraná (Honpar), em Arapongas, e mais 6 novos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para o Honpar.

Mesmo com os investimentos, a taxa de ocupação permanece alta. Em Arapongas, a taxa de ocupação na enfermaria Covid é de 66%, com 33 pacientes internados nas 50 vagas disponíveis. Na UTI do Honpar, a ocupação está em 89%, com 59 pacientes para 66 leitos.

continua após publicidade

Em Apucarana, a taxa de ocupação do Hospital da Providência para enfermaria continua acima da capacidade com 103%. São 53 pessoas internadas para 51 leitos disponíveis. Na UTI, a ocupação está em 95%, com 19 pacientes internados nos 20 leitos disponíveis. A enfermaria pediátrica no Materno Infantil também está lotada, com ocupação de 120%. São 6 crianças internadas e apenas 5 leitos contratualizados disponíveis.

Em Jandaia do Sul, no Hospital Nossa Senhora de Fátima, a ocupação é de 96% e resta apenas uma vaga de enfermaria disponível dos 25 leitos oferecidos para tratamento Covid.

De acordo com a Sesa, embora o aumento de leitos tenha acontecido é preciso que a população continue firme nas medidas de prevenção, pois na nossa região a situação em relação ao número de pessoas doentes e leitos disponíveis continua preocupante.