Apucarana

"Agiu sob forte emoção", diz defesa da avó que matou homem

A avó foi autuada em flagrante por homicídio qualificado e já foi transferida para o minipresídio de Apucarana; o homem teria tentado abusar da neta dela

Da Redação ·

A avó que matou um homem, de 35 anos, que teria tentado abusar da neta dela foi autuada em flagrante por homicídio qualificado e já foi transferida para o minipresídio de Apucarana, no norte do Paraná. O crime aconteceu na tarde de domingo (24), na casa dela, localizada na  Rua Maracahi, na Vila Feliz. A defesa alega que a cliente agiu sob forte emoção. 

continua após publicidade

Conforme o advogado Pedro Eduardo Ortega, a avó assumiu toda a responsabilidade. "Ela contou detalhes de como tudo aconteceu, ela tinha uma motivação para isso, o homem que morreu, tentou violentar a neta dela, e ele ainda ameaçou voltar e matar os irmãos da menina. Ela agiu sob forte emoção, ela não se conteve, foi em busca do rapaz, em uma forma de praticar justiça, ela agiu com fúria. Por mais que ela não tenha direito algum de ter feito isso, mas vamos trabalhar para que ela responda em liberdade, é ré primária, vamos trabalhar para que ela tenha os direitos dela respeitados", explica. 

Ainda de acordo com o advogado, três netos, um deles especial, eram sustentados e moravam com ela. "Ela trabalha com a venda e compra de recicláveis, e os netos viviam com ela. Infelizmente a mãe deles é usuária de drogas e não tem condições financeiras nem psicológicas para cuidar deles. Eles foram levados para ela, que vive em uma chácara, mas é uma situação bem difícil. O jovem especial só aceita tomar remédio com a minha cliente, não aceita outra pessoa. Ela cuidava de todos", disse.

continua após publicidade

O homem que morreu, Eduardo Cezar Barbosa Fernandes, recolhia recicláveis na cidade e não tinha nenhum vínculo com a avó. "Ela acolhe esses catadores que vão lá vender pra ela. Nos fundos da casa dela tem um cômodo, um quarto, que ela oferecia pouso, dava café para ele, ele usava o banheiro, quando precisava dormir, às vezes dormia lá, jamais houve a desconfiança de que algum colaborador do reciclável iria praticar um crime contra a família. Sabemos que esse crime gerou uma comoção social, independente de qualquer coisa, o homem que morreu já foi preso por furto, tentativa de estupro, tentativa de homicídio, a sociedade ficou livre de uma situação perigosa, mas sabemos do crime que minha cliente cometeu, ela assumiu isso, e vamos trabalhar para que ela responda em liberdade", finaliza. 

De acordo com a Polícia Civil, além da avó, de 61 anos, o marido dela, de 28 anos, e uma outra mulher, de 37, que seria namorada do homem que morreu e que  teria participado das agressão, também foram autuados por homicídio qualificado, pois eles teriam participado do crime. 

Eduardo Cesar Barbosa Fernandes morava na região do Jardim América e familiares já foram até o Instituto Médico Legal (IML) para a liberação do corpo.  Durante entrevista para o site TNOnline, a avó contou detalhes de como a tentativa de abuso aconteceu. "Ela gritou por socorro e ele só não conseguiu violentar ela, pois minha neta é esperta luta karatê, sabe se defender, ele arrombou a porta da nossa casa e foi para o quarto dela, como ela se defendeu ele saiu correndo. Eu deixava ele tomar banho, usar nosso banheiro, não imaginava que ele iria fazer isso. Como ele fugiu, desde cedo estava a procura dele, encontrei ele no Marcos Freire, trouxe ele de volta pra minha casa, e aqui, dei umas pauladas nele, ele caiu, então acabei de matar", disse a avó da menina.

continua após publicidade

A avó disse que mesmo sendo presa, não se arrepende do crime. "Não me arrependo, meus netos, minha neta, são preciosos. Matei ele mesmo, meu marido não fez nada, mas eu sei. Pelo menos agora ele não vai mais furtar, roubar e nem estuprar mais ninguém", comenta a mulher. Veja:    null - Vídeo por: Reprodução   

Assista a transmissão ao vivo do local do crime:    null - Vídeo por: Reprodução Por, Sílvia Vilarinho