Apucarana

Rapaz que usava whatsapp e Correios para vender e entregar drogas sintéticas é preso pela PM

Da Redação ·
Rapaz que utilizava whatsapp e Correios para divulgar, vender e entregar drogas sintéticas foi preso pela PM em Apucarana - Foto: Divulgação/PM
Rapaz que utilizava whatsapp e Correios para divulgar, vender e entregar drogas sintéticas foi preso pela PM em Apucarana - Foto: Divulgação/PM

Após denúncias anônimas via telefone, policiais militares de Apucarana prenderam na noite de quinta-feira (29) um suspeito de traficar e entregar drogas sintéticas ( lsd e ecstasy) utilizando o aplicativo whatsapp e os serviços dos Correios.

continua após publicidade

Lucas José Ferreira Rodrigues, de 23 anos, residente em Marilândia do Sul, foi abordado por uma equipe da Rotam na Avenida Curitiba, no centro da cidade e com ele os policiais localizaram quatro cartelas com 25 micropontos de LSD que, segundo a PM, seriam entregues para um usuário de entorpecentes que havia fechado negócio pela internet. Ele anunciava as drogas e os respectivos preços em grupo de aplicativo.

Rapaz que usava whatsapp e Correios para vender e entregar drogas sintéticas é preso pela PM fonte: Reprodução

Foto: Divulgação/PM

continua após publicidade

"Utilizando-se do aplicativo whatsapp ele fazia anúncios de vendas de tóxicos e entregava as drogas via correios, inclusive mandando fotos de diversos tipos de comprimidos de  ecstasy e também de cartelas com micropontos de LSD. Através de levantamentos e informações, apuramos que o Lucas possivelmente viria a Apucarana para fazer uma entrega e após campana nas cercanias do logo indicado pelos denunciantes conseguimos prendê-lo em flagrante", relata o capitão Vilson Laurentino da Silva. 

Rapaz que usava whatsapp e Correios para vender e entregar drogas sintéticas é preso pela PM fonte: Reprodução

Foto: Divulgação/PM

Durante a abordagem os policiais militares perceberam ainda que chegavam várias mensagens no celular do detido relacionadas a compra e venda de drogas sintéticas. "Por conta dessa situação, foi possível constatar que o número de celular que Lucas utilizava era exatamente o mesmo que constava nos  "prints" enviados por várias pessoas anunciando o comércio da droga", acrescentou o capitão Vilson.

Lucas foi levado à 17ª Subdivisão Policial (SDP) junto com a droga sintética para os procedimentos legais. A PM lembra ainda que a penas para os condenados para os tráfico de droga varia entre 5 e 15 anos de prisão.