Vale do Ivaí

Região tem mais de 1,7 mil casos de dengue confirmados

Arapongas tem o maior número de confirmações,1.144 casos e uma morte

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Região tem mais de 1,7 mil casos de dengue confirmados
fonte: TRIBUNA DO NORTE

Informe epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta terça-feira (26), confirmou 1.743 casos de dengue em 14 municípios pertencentes à 16ª Regional de Saúde (RS) de Apucarana. O boletim trouxe 469 casos a mais do que o relatório publicado em 19 de abril, que confirmou 1.274 casos. 

continua após publicidade

Arapongas concentra a maior parte dos casos e segue em epidemia com 1.144 confirmações. O município que já tem uma morte pela doença ainda investiga 439 casos suspeitos. 

Marumbi é outro município da região em situação epidêmica com 475 confirmações e 70 casos em investigação. 

continua após publicidade

Com 33 casos confirmados, Faxinal continua em situação de alerta, assim como Grandes Rios que registrou 23 casos da doença. 

Também registraram casos: Apucarana (31), Bom Sucesso (9), Borrazópolis (7), Califórnia (1), Jandaia do Sul (6), Kaloré (5), Marilândia do Sul (2), Mauá da Serra (3), Sabáudia (3) e São Pedro do Ivaí (1). Apenas Cambira, Novo Itacolomi e Rio Bom não têm casos confirmados neste boletim.

22ª RS DE IVAIPORÃ

continua após publicidade

Na 22ª Regional de Saúde (RS), Lunardelli está em situação de epidemia com 73 casos confirmados e 60 em investigação. Também registraram casos: São João do Ivaí (15), Ivaiporã (13), Manoel Ribas (6), Ariranha do Ivaí (5), Jardim Alegre (4), Nova Tebas (3) e Arapuã (1), somando 120 confirmações. 

ESTADO PASSA DE 30 MIL CASOS CONFIRMADOS

O Paraná registrou 94.344 notificações, 14.340 a mais na comparação com a semana passada. Além disso, são 30.010 confirmações, 6.849 a mais, um aumento cerca de 30% em relação aos números do informe anterior.

continua após publicidade

Dos 369 municípios que registraram notificações de dengue (92,4% do Estado), 300 já confirmaram a doença (75,1%). De acordo com o relatório, 261 deles confirmaram casos autóctones no período, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência dos pacientes. Nesta semana, não houve registro de nenhum óbito – o total ainda é de cinco, em Nova Esperança, Arapongas, Tapira, Matelândia e Medianeira. 

Os dados são do 35º Informe Epidemiológico, do novo período sazonal da doença, que iniciou no dia 1º de agosto e deve seguir até julho de 2022.

continua após publicidade

No dia 19 de abril o Estado confirmou condição epidêmica de dengue por conta dos casos prováveis e confirmados, que estavam acima do esperado para o período epidemiológico. Diante deste cenário e do aumento dos casos, as equipes da Vigilância Ambiental da Sesa se reuniram com gestores municipais das regiões Oeste e Sudoeste para o enfrentamento do surto da doença. 

A equipe da Seção de Apoio Logística de Insumos e Equipamentos (Scali), junto com a Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores (DVDTV) e o Núcleo de Vigilância Entomológica de Londrina, está na 6ª Regional de Saúde de União da Vitória para orientações e capacitações quanto ao uso de equipamentos costais motorizados, identificação de larvas e dos principais criadouros para orientação dos agentes de combate a endemias da região. 

“Historicamente, nos meses de março, abril e maio são registrados os maiores números de casos de dengue no Paraná. Por isso ainda temos muito trabalho a ser feito e precisamos da atenção de todos para observar o domicílio, remover os criadouros e cuidar do quintal”, enfatizou o secretário de Estado da Saúde, César Neves.

TRANSMISSÃO
As arboviroses (dengue, zika e chikungunya) são transmitidas pela picada do Aedes aegypti. É necessário ficar atento a possíveis criadouros do mosquito e, assim, eliminar esses locais de risco, para evitar a propagação das doenças. É fundamental que a pessoa identifique os sintomas das arboviroses para buscar o serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequado, o quanto antes.