Vale do Ivaí

Preço e falta de componentes na indústria afetam vendas de veículos

Em Apucarana, Arapongas e Ivaiporã a alta foi de até 14,2% enquanto Jandaia do Sul e Faxinal registraram queda de até 67%

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Preço e falta de componentes na indústria afetam vendas de veículos
fonte: Da redação

Os emplacamentos de veículos novos registraram leve avanço na região. Dados do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) mostram crescimento de 1,8% na média geral dos cinco maiores municípios, no primeiro bimestre deste ano, praticamente o mesmo patamar do ano passado. Em Apucarana, Arapongas e Ivaiporã a alta foi de até 14,2% enquanto Jandaia do Sul e Faxinal registraram queda de até 67% 

continua após publicidade

As concessionárias dos municípios com números positivos, entretanto, atribuem o crescimento às vendas concretizadas no ano passado, que só tiveram os veículos entregues aos clientes neste ano devido ao atraso provocado pela falta de semicondutores eletrônicos na indústria automobilística. Segundo o setor, a falta destes componentes somada a alta de até 30% no preço médio dos veículos fez as vendas patinarem. 

Diretor comercial de concessionária em Arapongas, Paulo Grassano Barros de Carvalho, afirma que os dados não refletem a realidade do mercado neste ano, uma vez que as vendas caíram 20% no estabelecimento onde trabalha. Segundo ele, muito veículos vendidos no ano passado foram entregues neste ano e, consequentemente, emplacados. A explicação que ele dá para a queda nas vendas é a alta nos preços. “O custo dos carros subiu muito o que enfraqueceu as vendas agora. A expectativa é de melhora no segundo trimestre deste ano”, comenta. 

continua após publicidade

De acordo com Carvalho, esse aumento de custo é ainda um efeito da pandemia e da falta de componentes elétricos para a produção na indústria automobilística. 

Gerente de concessionária Máximo Umberto Monis, também de Arapongas, acredita que a venda de veículos zero quilômetro deve se manter igual ao ano passado porque a falta de componentes nas montadoras de automóveis que estão cada vez mais dependentes de chips, seja para o gerenciamento de motores por computador até assistência ao motorista. 

“Tem que ter produção de carro e ainda está demorando. As montadoras enfrentaram uma forte concorrência da indústria de eletrônicos que utiliza chips que são fabricados com a mesma matéria-prima dos semicondutores”, afirma. 

continua após publicidade

Enquanto os preços pressionam a venda de automóveis para baixo, Monis assegura que o comércio de seminovos continua aquecido.

Redução do IPI pode melhorar desempenho do setor, diz economista 

Para o economista Paulo Cruz, professor da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), campus Apucarana a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) pode melhorar o desempenho das vendas de automóveis do primeiro quadrimestre.

continua após publicidade

Cruz aponta ainda que Apucarana e Arapongas se destacam em função de sua grande territorialidade municipal e de seus aspectos econômicos agropecuários e industriais. Estes aspectos podem favorecer a aquisição de veículos novos, uma vez que empresas rurais e urbanas se valem da redução do IPI. 

“Com os altos preços dos veículos qualquer desconto pode fazer a diferença no processo de decisão para aquisição de um veículo”, afirma. 

continua após publicidade

Segundo ele, Apucarana e Arapongas têm vantagens em relação aos municípios menores porque possuem uma frota maior para ser reposta. 

Confira no infográfico:   

Preço e falta de componentes na indústria afetam vendas de veículos fonte: Silvia Vilarinho

Por, Cindy Santos