Vale do Ivaí

Mulher morta em Mauá da Serra não sofreu trauma, aponta IML

O laudo aponta que a morte pode ter ocorrido por causas naturais; investigação continua.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Mulher morta em Mauá da Serra não sofreu trauma, aponta IML
Mulher morta em Mauá da Serra não sofreu trauma, aponta IML

A morte de Rosenilda Guimarães, de 41 anos,  pode ter sido natural, segundo apontam exames de necropsia realizados pelo Instituto Médico Legal (IML) de Apucarana. Segundo o laudo, divulgado nesta quarta-feira (15), a morte teria sido por causas naturais. O corpo da mulher foi encontrado na manhã desta terça-feira (14), na rodoviária de Mauá da Serra. O marido dela chegou a ser detido por haver suspeita de crime.

continua após publicidade

De acordo com o médico legista Dr. Roberto Oliver Lages, que fez o exame de necropsia na vítima, "não existe evidência de morte traumática ou violenta, sendo uma suspeita de morte natural, pois não foi encontrado ferimento que justifique uma morte traumática. Não tinha lesão cervical ou sinais de asfixia, sendo uma morte a esclarecer de origem não traumática".

A investigação ocorre sob responsabilidade do delegado Felipe Ribeiro Rodrigues, de Marilândia do Sul.

continua após publicidade

O caso

A Polícia Militar (PM) de Mauá da Serra confirmou que uma mulher foi encontrada morta na manhã desta terça-feira (14), na Rodoviária do município. O marido dela foi detido, pois existe a suspeita de crime. 

Rosenilda Guimarães tinha 41 anos, há dois meses, ela e o marido se mudaram para Mauá da Serra, porém, a casa deles pegou fogo no domingo (12) e eles estavam dormindo na rodoviária.  "Testemunhas contaram que do domingo eles ingeriram bebidas alcoólicas e depois a casa de aluguel que eles moravam pegou fogo, não se sabe ainda o que provocou as chamas. Era a segunda noite deles na rodoviária. Eles são da região de Rio Branco do Ivaí, já moraram em Apucarana também", explicou  o Sargento Francis Lourenço Gomes. 

Um casal de andarilhos contou para a polícia que o marido deitou em cima da esposa, o que pode ter provocado a morte dela. "Esse casal contou que o marido quebrou uma lâmpada que iluminava onde eles estão dormindo, depois o suspeito deitou em cima da mulher, então por causa dessa versão das testemunhas, e através de imagens de segurança que confirmaram a versão,  pode ser que se trata de um crime, pode ser que o marido tenha asfixiado ela. Tudo será investigado", disse o sargento.