Vale do Ivaí

Mais de 6 mil pessoas esperam a segunda dose da vacina

Em Apucarana, por exemplo, a aplicação da segunda dose da coronavac foi suspensa há duas semanas

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Mais de 6 mil pessoas esperam a segunda dose da vacina
Mais de 6 mil pessoas esperam a segunda dose da vacina

Cerca de 6,5 mil pessoas que já foram imunizadas com a vacina CoronaVac esperam a aplicação da segunda dose contra a Covid-19 na 16ª Regional de Saúde (RS) de Apucarana.

continua após publicidade

No final de semana, o Governador do Paraná,  confirmou o recebimento de mais 57,8 mil unidades do imunizante e a expectativa é concluir o ciclo de vacinação e garantir uma proteção completa contra as formas mais graves da doença. 

O chefe da 16ª RS Altimar Carletto espera que as doses serão encaminhadas ainda nesta semana para a regional, contudo não soube informar se a quantidade será a necessária para fechar a conta.

continua após publicidade

Carletto tranquiliza a população em relação a demora na aplicação da segunda dose. Ele explicou que o período ideal entre as duas aplicações é de 25 dias, porém, afirma que o paciente não terá prejuízo se receber a segunda dose em um intervalo de até 45 dias. 

“Assim que essas doses chegarem, será uma alegria para todos nós. Sabemos que a segunda dose está atrasada, todo mundo está esperando com ansiedade, mas não haverá perda significativa com essa demora, mesmo que demore até 45 dias o paciente não terá prejuízo”, afirma. 

Sem vacinas, os municípios seguem com vacinação da AstraZeneca. Em Apucarana, por exemplo, a aplicação da segunda dose da coronavac foi suspensa há duas semanas.

continua após publicidade

No Paraná, as vacinas chegaram na manhã do último sábado e foram encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) para verificação, separação e armazenamento, parte do processo de distribuição para as 22 Regionais de Saúde do Estado. O lote é formado por 15.919 doses para pessoas de 60 a 64 anos, 2.747 para forças de segurança e salvamento (inclusive Forças Armadas) e 33.377 para ajustar a imunização em segunda dose no público prioritário já vacinado com a primeira, como trabalhadores de saúde e idosos, dependendo da necessidade dos municípios.

A diferença para o quantitativo total é a reserva técnica.