Vale do Ivaí

Mãe agradece técnico de enfermagem que salvou a filha

A moradora de Mauá da Serra viveu momentos de tensão após a filha, de um ano e seis meses, sofrer convulsões e parada cardíaca

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Técnico de enfermagem Everaldo Victhoff, Stefany e a mãe Ana Paula durante reencontro
fonte: Arquivo pessoal
Técnico de enfermagem Everaldo Victhoff, Stefany e a mãe Ana Paula durante reencontro

"Eu pensei que iria perder a minha filha", foi o que disse Ana Paula Ortiz da Silva, de 18 anos. A moradora de Mauá da Serra viveu momentos de tensão após a filha, Stefany Sophia Ortiz de Oliveira, de apenas um ano e seis meses, sofrer convulsões e parada cardíaca. Na última sexta-feira (3), a mãe procurou atendimento no Pronto Socorro, pois a menina estava com sintomas gripais. 

continua após publicidade

Ao chegar na unidade de saúde foi realizado um teste de Covid, que apontou que a criança estava com a doença e foi aí que o desespero começou. "Na semana passada fui diagnosticada com Covid e acredito que passei para a minha filha. No dia que procurei atendimento, ela estava com muita febre, ela fez o teste que deu positivo e nós estávamos aguardando a consulta para saber como tratar a doença quando ela começou a convulsionar, depois ela começou a passar ainda mais mal e eu pensei que eu iria perder minha filha. Graças a Deus, um verdadeiro anjo em forma de enfermeiro apareceu e salvou minha menina", muito emocionada, explica a mãe. 

O técnico de enfermagem Everaldo Withotf, de 41 anos, foi quem ajudou a família. Ao ouvir a mãe desesperada no Pronto Socorro foi ver o que estava acontecendo e já encontrou a menina desfalecida. "Eu escutei a mãe gritando desesperada, fui ver o que era e já encontrei a criança em cianose extrema, com crise convulsiva, seguida de parada respiratória e cardíaca, sem pulso, uma situação muito grave. Peguei a criança em meus braços e levei para sala de atendimento, nós temos todos os equipamentos de reanimação, mas na hora, devido a gravidade, achei melhor fazer a respiração boca a boca e massagem massagem cardíaca, na primeira vez não deu certo, na segunda também não, mas na terceira vez, o ar entrou e ela voltou a respirar. Junto com o doutor Celso e enfermeiras, conseguimos reverter esse quadro", relembra o profissional. 

continua após publicidade

Everaldo, que é um experiente profissional, trabalha como técnico em enfermagem há 20 anos, não se importou com os riscos de contrair a Covid ao ter contato com  a criança.  "Eu só queria salvar a vida dela, não me importei se ela tinha testado positivo, é uma criança em um quadro grave, que exigia rapidez no atendimento e o que eu fiz era o mais viável para o momento. Muitas vezes é difícil reverter esse quadro que ela se encontrava, mas nós conseguimos. Deus coloca a gente na hora certa, no lugar certo, não fui eu que salvei ela e sim Deus, que nos colocou um no caminho do outro", ressalta.

Stefany é filha única e se recupera em casa, com a mãe. Nesta segunda-feira (6), ela e a criança reencontraram o enfermeiro. O momento foi de grande emoção. "Ele foi um anjo, pegou minha filha, levou na sala, salvou minha filha, sou muito grata a ele e aos outros profissionais que fizeram um trabalho incrível, salvaram a vida dela. Minha filha sempre foi saudável, e foi muito triste ver ela naquela situação. Ver hoje ela brincando, feliz, é a maior alegria pra mim, por um momento pensei mesmo que ia perder ela mas Deus foi tão bom que colocou o enfermeiro na minha vida. Não tenho palavras para explicar a minha felicidade, minha filha é tudo e graças a Deus e ao profissional que tenho hoje a minha filha em casa", destaca.

Em breve o enfermeiro vai receber uma homenagem na Câmara de Vereadores do município. Everaldo por 15 anos atuou como socorrista resgatista na RodoNorte, trabalhou em hospitais de Maringá, atualmente trabalha no Lar São Vicente de Paulo em Marilândia do Sul e no Pronto Socorro de Mauá da Serra. "Ser socorrista resgatista foi uma grande escola, já vivenciei muitos momentos graves. Sempre busquei me aperfeiçoar, participar de treinamentos e há um ano passei no concurso da saúde de Mauá e vou trabalhar feliz todos os dias, pedindo a Deus que sempre me use como instrumento na vida das pessoas. Amo o meu trabalho, cuidar das pessoas, pra mim é uma honra", finaliza.      

Por, Sílvia Vilarinho

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News