Ivaiporã

Saúde e Vigilância Epidemiológica orientam população sobre riscos da dengue e Covid-19

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Saúde e Vigilância Epidemiológica orientam população sobre riscos da dengue e Covid-19
fonte: Divulgação/Prefeitura de Ivaiporã
Saúde e Vigilância Epidemiológica orientam população sobre riscos da dengue e Covid-19

A diretora do Departamento Municipal de Saúde da Prefeitura de Ivaiporã, Cristiane Pantaleão, e a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Nilza Fernandes orientam a população a reforçar os cuidados relativos ao mosquito Aedes aegypti, que é o transmissor da dengue, chikungunya, zika e da febre amarela.

continua após publicidade

O alerta é dado especialmente devido à sazonalidade dos casos de dengue (2020-2021) em função da pandemia do coronavírus (Covid-19). Segundo Nilza Fernandes, o período sazonal da dengue é contado partir do dia 1º de agosto de 2020. Portanto, entre agosto de 2020 e 19 de janeiro de 2021 foram registrados 2 casos positivos de dengue e 10 notificações.

Esta semana, a Vigilância Sanitária monitora a infestação do mosquito Aedes aegypti no município. Ou seja, a cidade é dividida em grupos, que passam por alguns domicílios, fazem vistoria e coletam amostras de água para detectar as larvas do mosquito Aedes aegypti.

continua após publicidade

“O tempo está quente e chuvoso. Por isso, é preciso redobrar os cuidados para evitar reinfecção pela dengue e coinfecção pelo coronavírus, porque os sintomas são parecidos, podem confundir os diagnósticos e os tratamentos são divergentes”, alertou Cristiane Pantaleão.

Enquanto o Covid-19 é mais sintomático respiratório, causando a perda do paladar/olfato, dor de garganta e no corpo, a dengue apresenta pintas vermelhas no corpo, ardência nos olhos e dor no corpo, por exemplo. Por isso, a população deve procurar os profissionais de saúde em casos suspeitos.

Existem 4 sorotipos de dengue (denv-1, denv-2, denv-3 e denv-4) que podem causar tanto a forma clássica da doença quanto formas mais graves. Em Ivaiporã, a Vigilância Sanitária identificou apenas denv-1.