Ivaiporã

Ocorrências de perturbação de sossego aumentam durante a pandemia

Em Ivaiporã, entre os dias 01 e 23 de junho houve acréscimo nas ocorrências de 150 %.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa
fonte: TN Online
Imagem ilustrativa

A Polícia Militar registrou aumento significativo nas ocorrências de perturbação do sossego (casos relacionados a som alto, algazarra, dentre outras situações), desde o início da pandemia do coronavírus na região. Só na cidade de Ivaiporã, entre os dias 01 e 23 de junho foram registradas 10 ocorrências contra quatro no mês de junho inteiro do ano passado, acréscimo até agora que representa 150 %.   

continua após publicidade

Major Élio Boing, comandante da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar  (6ª CIPM) diz que uma das justificativas para o aumento é em razão do isolamento social. “Com as pessoas ficando mais em casa, alguns acabam fazendo o uso do som em volume desproporcional, ou então reúnem várias pessoas conversando alto e gritando dentro de uma residência. Isso evidentemente incomoda os vizinhos que também estão em suas casas”.

 Major Élio Boing  fonte: TN Online
Major Élio Boing
continua após publicidade

Segundo o comandante, a PM tem atuado sempre que é solicitada, e normalmente os pedidos para que a infração seja encerrada tem sido acatada pelos autores.  “Em uma ou outra ocorrência temos que tomar medidas mais fortes, ou porque os autores estão embriagadas, em alguns casos sob efeito de alguma droga, e acabam desacatando ou enfrentando a equipe”.

Major Boing pede a compreensão e que se evite fazer uso de som alto e algazarras. “O bom senso deve ser utilizado. As pessoas também tem que entender, que essas situações muitas vezes desviam a PM de ocorrências maiores de preservação à vida e ao patrimônio”.  

Existe a crença de que fazer barulho excessivo com perturbação do sossego é das 22 horas de um dia às 5 horas da manhã do outro, mas isso não é verdade. “A legislação não trata disso, mesmo durante o dia se o barulho for fora da normalidade pode configurar efetivamente uma perturbação de sossego. Claro que tem que se analisar caso a caso, mas não tem essa questão de horário pré-definido que perturbe o sossego alheio”, esclarece.

continua após publicidade