Vale do Ivaí

Ivaiporã lança projeto Mais Mel e debate implantação de associação

Objetivo é incentivar a diversificaçao e fortalecer a cadeia produtiva da meliponicultura – criação racional de abelhas sem ferrão

Da Redação ·

É com o objetivo de incentivar e fortalecer a cadeia produtiva da meliponicultura – criação racional de abelhas sem ferrão, que a Prefeitura de Ivaiporã lança o projeto Mais Mel, por intermédio do Departamento Municipal de Agricultura, e o debate acerca da implantação da Associação de Meliponicultores e Apicultores de Ivaiporã e Região (Meliapi).

continua após publicidade

Em dezembro de 2021, a Prefeitura de Ivaiporã, Sindicato Rural e o Senar realizaram o curso de Apicultura Básica, que contou com 12 produtores de mel inscritos, e despertou o interesse em outros apicultores.

Por isso, dando sequência à meta 9 do Departamento Municipal de Agricultura, que visa diversificar culturas nas propriedades, foi lançado o projeto Mais Mel, nesta segunda-feira, dia 4 de abril, no salão nobre da Prefeitura, onde participaram a diretora e o agrônomo do Departamento Municipal de Agricultura, Estela Zanetti e Gil Garibe, apicultor e meliponicultor, Rinaldo Zanoni, representante técnica do IDR-Paraná, Paula Roldão, e os vereadores Gertrudes Bernardy, José Maurino Carniato e Emerson Bertotti.

continua após publicidade

Rentabilidade

Estela Zanetti explicou foi estabelecida parceria com Rinaldo Zanoni, que tem 9 anos de experiência com produção de mel – especialmente sem ferrão. “O nosso objetivo é aumentar a produção e o ganho dos produtores de mel, porque a abelha é muito rentável”, justificou Estela Zanetti.

continua após publicidade

A vereadora Gertrudes Bernardy parabenizou a equipe do Departamento Municipal de Agricultura pela iniciativa e os produtores pelo interesse na meliponicultura, citando o irmão Plínio Bernardy, que cria abelha Jataí em casa e por hobby. “Diariamente, ele [irmão] conversa com as abelhas logo que levanta pela manhã, o que é interessante o cuidado e a preocupação com a polinização”, exemplificou Gertrudes Bernardy.

Segundo Gil Garibe, o aumento do VBP (Valor Bruto da Produção) no município estimula a diversificação de culturas – incluindo a produção de mel. “No mundo, há 400 espécies de abelhas e no Brasil são cerca de 300 – a maior diversidade de abelhas sem ferrão do mundo, tais como Jataí e mandaçaia”, disse o agrônomo.

Em seguida, o apicultor Rinaldo Zanoni, auxiliado pelo filho Jhonny Tonassi Zanoni, compartilhou a experiência com a meliponicultora e apresentou o protótipo de caixa didática para abelhas nativas sem ferrão, que possibilita a observação do interior do enxame, interferindo minimamente na dinâmica da colmeia, e possibilitando a transferência de enxames, a colheita de mel e própolis, em pouco tempo, evitando o estresse e a morte de abelhas.

continua após publicidade

Além de apresentar o protótipo o apicultor esclareceu dúvidas de alguns produtores de abelha.

Quanto à Meliapi o próximo passo será reunir os produtores interessados – pelo menos 20 – e formalizar a implantação com a parceria do IDR-Paraná e Sebrae.