Vale do Ivaí

Ivaiporã lança projeto Fragmentos da Mata Atlântica

Objetivo é preservar espécies nativas em risco com monitoramento, pesquisa científica e educação ambiental

Da Redação ·

Cumprindo mais uma meta do plano de governo, referente à criação de programas de educação ambiental, a administração Carlos Gil e Marcelo Reis lança o projeto Fragmentos da Mata Atlântica em Ivaiporã: um elo social e ambiental, por meio dos Departamentos Municipais de Meio Ambiente e de Assistência Social em defesa das 2 Unidades de Conservação – Parque Natural Municipal Mata do Placídio e Estação Ecológica Faian, esta que pertence à bacia de captação de água que abastece a população de Ivaiporã.

continua após publicidade

O projeto tem como objetivo preservar espécies nativas em risco de extinção com monitoramento, pesquisa científica e educação ambiental.

Crianças e adolescentes atendidos pelos projetos do Departamento Municipal de Assistência Social passam por oficinas e desenvolvem trabalhos de preservação da flora, fauna e da água para criar um Desfile Alegórico Ambiental, que será realizado no dia 21 de setembro (Dia da Árvore) – com alas, fantasias e adereços criados e confeccionados a partir de materiais recicláveis, arrecadados por meio de campanha envolvendo a população.

continua após publicidade

A meta é incentivar gerações conscientes a preservar a vida nas 2 Unidades de Conservação.

Recentemente, Marcelo Galeazzi Caxambu, que é doutor em Ciências Biológicas e curador do Herbário da UTFPR, coordenou o levantamento da flora na Estação Ecológica Faian, identificando várias espécies, como, por exemplo, rabo-de-bugio, que é ameaçada de extinção, ora-pro-nóbis e angico-vermelho – além de passar conhecimento às crianças e adolescentes dos projetos sociais.

“O município de Ivaiporã possui uma área equivalente a 2 mil campos de futebol do Bioma Mata Atlântica. Pode parecer bastante. Mas, se observar que restam apenas 12,4% do total da floresta que existia originalmente, é possível perceber a importância da preservação para que as gerações futuras possam aproveitar os benefícios que a natureza oferece”, defendeu a diretora do Departamento Municipal de Meio Ambiente, Denise Kusminski.

continua após publicidade

Segundo a diretora do Departamento Municipal de Assistência Social, Flávia Kuss, é pensando em fazer a diferença hoje para colher os frutos amanhã, que o projeto é lançado, uma vez que a preservação das florestas não se faz sem a integração da sociedade.