Vale do Ivaí

Garota de 13 anos era mantida em cárcere privado na região

Ela foi encontrada em um sítio em Grandes Rios, com um homem de 50 anos

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Garota de 13 anos era mantida em cárcere privado na região
fonte: Pixabay\ ilustração

A Polícia Militar e o Conselho Tutelar de Rosário do Ivaí resgataram uma menina, de 13 anos, que estava desaparecida desde 11 fevereiro, e estava sendo mantida em cárcere privado por um homem de 50 anos. Ela foi encontrada em um sítio em uma área limite com município de Grandes Rios, onde a menina residia. O caso é investigado pela Polícia Civil e a menina, segundo a avó, está muito traumatizada. Um homem, que teve relações sexuais com a adolescente, foi preso por estupro de vulnerável. 

continua após publicidade

A avó, de 53 anos, que vive em Faxinal, contou ao TNOnline que a neta morava com o pai em uma fazenda em Grandes Rios quando desapareceu. O homem, que também era funcionário da fazenda, sumiu na mesma data. De acordo com a PM, o Conselho Tutelar informou que a menina poderia estar sendo mantida em cárcere privado. Conforme a polícia, quando a equipe chegou no endereço, o sítio parecia estar abandonado. A polícia realizou buscas e em um quarto, que estava com a porta trancada, encontrou duas pessoas, o suspeito e a menina.

O homem foi preso em flagrante e levado para a delegacia de Faxinal.  A avó contou que sua neta está traumatizada e fala pouco sobre o que aconteceu “Eu espero que esse homem fique na cadeia, para nunca mais sair.  Porque não se faz o que ele fez, ele trabalhava de caseiro junto com o meu filho na fazenda, não esperávamos isso dele, a minha neta está sendo acompanhada pelo conselho. Não sabemos ao certo o que aconteceu nesses dias, mas ela contou que manteve relações sexuais com ele, estamos desesperados com tudo que aconteceu", desabafou a avó.

continua após publicidade

O homem segue preso em Faxinal. A Polícia Civil ainda não repassou informações sobre o caso. Já a adolescente foi encaminhada nesta quinta-feira (24), ao Instituto Médico Legal (IML) de Ivaiporã para exame de corpo de delito para configuração do abuso que a criança sofreu. O caso está sendo acompanhado pelo Conselho Tutelar de Faxinal, onde a família reside atualmente. Segundo a conselheira Izoni Machado de Oliveira, a menina foi levada quando tinha 12 anos. "Ela completou aniversário recentemente", comenta. 

A conselheira destaca que além da adolescente, toda família deve ser acompanhada. "Vamos encaminhá-la para atendimento especializado, tanto para que ela seja ouvida no processo criminal, em escuta humanizada, como posteriormente com atendimento psicológico, de saúde e também com apoio do CRAS, vamos acionar toda a rede de apoio", comenta. O caso está sendo acompanhado também pela conselheira Maria de Fátima  Benevides.