Vale do Ivaí

Com medo do marido embriagado, mulher se tranca em casa e chama a PM

O homem quebrou vidros das janelas e foi parar no hospital. O homem já tinha histórico de ficar agressivo quando bebe

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa
fonte: Reprodução Internet
Imagem ilustrativa

No sábado (16) em Grandes Rios, uma mulher com medo de ser agredida pelo marido embriagado se trancou em sua residência e chamou a Polícia Militar (PM). O homem quebrou vidros das janelas e foi parar no hospital. Segundo a vítima, o marido sempre fica agressivo quando ingere bebidas alcoólicas.

continua após publicidade

Conforme o boletim de ocorrência, a guarnição foi acionada pelo COPOM, por volta das 11h30, para deslocar em uma residência no centro de Grandes Rios, onde a solicitante de 49 anos, informava que estava trancada dentro da casa e que o marido de 64 anos, estaria do lado de fora quebrando as janelas .

Na residência, os policiais se depararam com o homem dando murros na janela de vidro, sendo então dada voz de abordagem, ele acatou e parou de quebrar a janela.

continua após publicidade

Foram constatadas outras duas janelas da frente da residência com vários vidros quebrados, e os cacos de vidro no chão. Havia ainda muito sangue por toda calçada e pelas janelas, e os dois antebraços e mãos do homem estavam ensanguentados. O pulso da mão direita tinha um corte mais profundo, sendo então solicitada a ambulância municipal.

O homem que estava embriagado se recusava a todo instante em ser encaminhado ao hospital e ainda dizia que iria tirar a própria. Com muita conversa foi possível levar o autor até a unidade hospitalar.

No hospital, a mulher relatou aos policiais que não foi a primeira vez que isso aconteceu. Disse ainda, que sempre que ele faz uso de bebidas alcoólicas fica agressivo. Já conhecendo o marido e temendo ser agredida, fechou a porta da residência. Ele ficou mais agressivo e bravo, e então começou a dar vários murros nos vidros das janelas.

A mulher foi cientificada de seus direitos e perguntado pelos PMs sobre a representação legal, porém, ela não quis representar contra o marido, apenas quis registrar o fato. O casal foi orientado e liberado.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News