Vale do Ivaí

Clima ajuda e milho safrinha ganha espaço na região

A segunda safra de milho na região está cercada de expectativas. Depois de uma frustração do ano passado, a esperança é de uma boa safra

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Clima ajuda e milho safrinha ganha espaço na região
fonte: TNOnline

A segunda safra de milho na região está cercada de expectativas. Depois de uma frustração do ano passado, a esperança é de uma boa safra. Principalmente na área do Núcleo Regional de Ivaiporã, que abrange 15 municípios do Vale do Ivaí. “Nunca vi uma lavoura tão boa de milho”, diz Sérgio Carlos Empinotti, do Departamento de Economia Rural (Deral), de Ivaiporã.

continua após publicidade

A regional deve fechar a área plantada de milho 2ª safra com um crescimento de 26% em relação ao ano passado. A área plantada com cereal cresceu de 91 mil hectares, no ano passado, para 115 mil hectares.

O desenvolvimento da lavoura é o motivo do otimismo. “O clima está favorável”, explica Empinotti. Bom nível de chuvas em toda a região. Segundo as estimativas iniciais, o rendimento da lavoura deve ser maior que a média dos anos anteriores, passando dos 5 mil quilos por hectare. Para se ter ideia, na safra de 2021, quando a cultura enfrentou seca e geada no desenvolvimento, o rendimento ficou na casa de 1,5 mil quilos por hectare.

continua após publicidade

As lavouras de quem plantou na janela oportuna, a partir de meados de fevereiro, já estão em fase de desenvolvimento e algumas, em floração. A colheita deve ocorrer dentro de 60 dias. A janela é considerada oportuna porque diminui o risco de enfrentar geadas na reta final.

Já quem plantou mais tarde, além de ter enfrentado dificuldades com financiamentos de safra, tem mais risco de clima frio na época final da cultura. Essas áreas estão na fase inicial de germinação. Mas as lavouras estão bem, neste início. “Todos torcendo para o clima ajudar”, diz Empinotti.

Na regional da Seab de Apucarana, que abrange 13 municípios, a área de milho da segunda safra deve ser de 56 mil hectares, com 2% em germinação e o restante em desenvolvimento vegetativo, com alguns casos pontuais de florescimento. Paulo Cesar Franzini, do Deral em Apucarana, informa que a estimativa inicial é de uma produção entre 323 mil e 350 toneladas, considerando o potencial regional. O rendimento esperado é de 5,8 mil a 6,3 mil quilos por hectare.

continua após publicidade

Na safra de 2021, o milho de segunda safra ocupou apenas 52 mil hectares na região de Apucarana e também sofreu com seca e geada. O rendimento foi de apenas 114 mil toneladas, com resultado perto de 2,2 mil quilos por hectare. Somando as duas regionais, o milho safrinha avançou 19,5% em área, passando de 143 mil para 171 mil hectares semeados.

Plantio de trigo deve começar em alguns dias

O plantio de trigo na região deve começar dentro dos próximos 10 dias. E a cultura deve perder espaços exatamente por conta dos avanços na área plantada de milho da segunda safra. A previsão é de redução de 20% na área de Ivaiporã, com rendimento médio que deve ficar na casa de 3,5 mil quilos por hectare plantado.

continua após publicidade

Na área da Seab-Deral de Apucarana a área de trigo também deve encolher em relação ao ano passado. Além de perder área para o milho, na região, o trigo ainda concorre com a aveia branca, que deve ter uma área plantada de 12 mil hectares, contra os 10 mil plantados na safra passada. Preços bons e a demanda de uma das maiores indústrias do segmento no Estado, localizada em Mauá da Serra, é um dos fatores para o aumento dessa cultura, segundo avalia o economista do Deral, Paulo Franzini.

O trigo na regional, que teve 47 mil hectares plantados em 2021, deve ficar com apenas 40 mil hectares para a safra que começa a ser plantada em alguns dias. A produtividade deve ficar na casa de 2,8 mil a 3,1 mil quilos por hectare. Na safra de 21, eram esperadas entre 132 mil e 140 mil toneladas, mas foram colhidas apenas 101 mil.

Por, Claudemir Hauptmann