Vale do Ivaí

Busca por desaparecidos no Rio Ivaí entra no quarto dia

Familiares pediram ajuda as pessoas da região para tentar localizar os desaparecidos no Rio Ivaí nas buscas terrestres

Da Redação ·

As buscas pelos seis desaparecidos, após naufrágio de uma embarcação no Rio Ivaí, no interior do Paraná, entram no quarto dia.  A procura aquática por sobreviventes do acidente, registrado no último domingo (18), conta com aproximadamente 50 pessoas, entre oficiais de várias corporações e voluntários tanto de Borrazópolis quanto de São João do Ivaí, trabalham na força-tarefa.

continua após publicidade

Além da equipe do Corpo de Bombeiros de Ivaiporã com quatro bombeiros que estão trabalhando no local desde domingo, também integraram a operação, três militares da Marinha do Brasil com um bote.

Na tarde de terça-feira (20), as buscas receberam reforços de mais uma equipe do Grupo de Operações de Socorro Tático (GOST) de Curitiba, especialista em busca e salvamento, tanto em terra como água. O grupo é composto por quatro bombeiros, especialmente treinados para atuar em situações emergenciais que exijam equipamentos e técnicas especiais. Policiais militares também estão auxiliando nas buscas terrestres.

continua após publicidade

A Defesa Civil de São João do Ivaí também encaminhou  14 pessoas para a região, além de um carro com uma técnica de enfermagem e uma ambulância com uma enfermeira. Também seria enviado mais um bote para ajudar nas buscas pelo rio.

A Prefeitura de Borrazópolis também colaborou com reforços para as buscas com duas equipes da Defesa Civil. Os trabalhos também contam com 20 pescadores profissionais da Patrulha Ambiental do Ivaí, com aproximadamente 10 botes e outras 15 pessoas voluntárias da região.

ROUPA ENCONTRADA

continua após publicidade

Na tarde de terça, uma camiseta de criança foi encontrada na região do Bairro Fogueira. A peça de roupa estava dentro da mata nas proximidades do rio. A avó da criança confirmou que a camiseta é da pequena Heloísa, moradora de Ivaiporã e uma das três crianças que estão sumidas no local.

“Depois que a roupa de uma das crianças foi encontrada na mata próxima ao rio e pessoas relataram que ouviram pedidos de socorro, temos esperança de encontrá-los”, disse o chefe de gabinete da Prefeitura de Borrazópolis Dário Wender Fachi Brito, que foi até  o local auxiliar nas buscas.

Durante todo o trabalho de buscas, as equipes percorrem as margens do Rio Ivaí chamando pelo nome dos desaparecidas. A esperança é que alguém ainda possa responder para ser resgatado pelas equipes.

continua após publicidade

“Temos a mesma esperança que a família, queremos encontrar todas as pessoas com vida. Se não houver possibilidade, vamos achar todos os corpos”, disse Cleber Daverson Luis dos Santos, major do Corpo de Bombeiros.

Familiares pedem ajuda para reforçar buscas terrestres na região

continua após publicidade

Familiares pediram ajuda às pessoas da região para tentar localizar os desaparecidos no Rio Ivaí nas buscas terrestres. Jenifer  Fernandes esposa de Adalberto Fernandes, e mãe de Sofia e Nicolas de 4 e 8 anos, fez um apelo transmitido pelo Blog do Berimbau. “Pessoal que tem sítio aqui na região, se puder,  passem pela estrada. As vezes eles tentaram subir, talvez estão em alguma estrada, no meio do milho”.

Ela também pede para as pessoas que tenham drone que possam ajudar. “Hoje aqui no rio está cheio de pessoas ajudando. Então a gente precisa procurar agora no meio do mato. Eles estão por aí, por favor quem puder, quem morar por perto nos ajude”, disse Jenifer.

Também estão desaparecidos, Heloise, de três anos e os pais dela Patrícia e Alberony Menegassi de Souza. “A gente segue confiante que eles estão de fora do rio. Se tem aquele 1% de chance, vamos lutar por aquele 1%”, comentou a cunhada de Alberony.As seis pessoas estão desaparecidas desde a tarde de domingo (18), quando o barco que estavam virou, na região do distrito de Ubaúna, em São João do Ivaí

continua após publicidade

Grupo estava em barco para até 4 pessoas

De acordo com o policial militar ambiental aposentado Carlos Eduardo Souza, que trabalha como voluntário nas buscas, a embarcação utilizada para o passeio foi um barco de alumínio de aproximadamente 5 metros com motor, com capacidade para até quatro pessoas.

As equipes trabalham em um raio de cerca de 10 quilômetros no rio e nas margens, a partir do local do acidente, conhecido como Salto Takaki ou Salto dos Três Pousos. De acordo com  Souza, o local é de fácil acesso. “A mata não é fechada na região, temos apenas uma faixa de uns 10 metros de mata ciliar e em seguida, muitas plantações de milho. Toda extensão do rio por aqui é repleta de propriedades rurais, então os locais de busca por terra são de fácil acesso”, explicou.

continua após publicidade

Ainda de acordo o voluntário, que trabalhou na região durante 17 anos, a distância entre a chácara onde a família embarcou no domingo e o local onde o acidente ocorreu é de no máximo 2 quilômetros pelo trio.

“A chácara fica às margens da água. Do local onde eles embarcaram para onde o barco virou, próximo ao salto Takaki, tem uma distância de uns 1.500 a 2 mil metros. Acredito que tudo aconteceu muito rápido”, contou.

Segundo o policial aposentado, a baixa vazão das águas torna o rio turvo e a correnteza mais forte e mais perigosa.

ENTENDA O CASO

Familiares e amigos estavam em uma chácara para comemorar um aniversário, quando 9 pessoas resolveram fazer um passeio de barco pelo Rio Ivaí e a embarcação virou. O socorro foi chamado por familiares que estavam na propriedade rural

Três vítimas, um casal e uma criança foram socorridas durante a noite de domingo. 

Até terça, continuavam desaparecidos os irmãos Sofia e Nicolas, de 4 e 8 anos, e o pai deles Adalberto Fernandes, a menina Heloise, de 3 anos, e os pais Patrícia e Alberony Menegassi de Souza.