Revista UAU!

Músicos fazem manifesto contra paródia na campanha eleitoral

Entre os artistas, podemos encontrar nomes como Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Zeca Pagodinho, Marisa Monte e Samuel Rosa

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Músicos fazem manifesto contra paródia na campanha eleitoral
fonte: Reprodução/Instagram

De acordo com matéria publicada pelo g1, mais de 350 músicos assinaram um manifesto contra a versão de suas músicas serem utilizadas em campanhas eleitorais.

continua após publicidade

Entre os artistas, podemos encontrar nomes como Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Zeca Pagodinho, Marisa Monte e Samuel Rosa.

O caso ocorreu, pois o tema tem previsão de ser julgado no Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta quarta-feira (09). De acordo com o g1, a justiça irá analisar se as versões das canções para as campanhas devem ser consideradas paródias e, com isso, serem isentas de autorização e pagamento de direitos autorais.

continua após publicidade

O fato está tomando novas proporções, pois nas eleições de 2020, como explica o g1, houve muitas músicas utilizadas como jingle, e isso gerou muitos autores contrariados com a situação.

A prática teve um aumento significativo, quando, nas eleições de 2014 o cantor Tiririca utilizou uma música de Roberto Carlos. Como colocado pelo g1, o refrão clássico "eu voltei, agora para ficar, porque aqui, aqui é o meu lugar" se tornou essencial para a campanha política do Tiririca. "Eu votei, de novo vou votar, Tiririca, Brasília é seu lugar", alterou.

Apesar de Tiririca ter sido condenado, o deputado federal recorreu e reverteu o resultado. O caso aconteceu, pois o STF diz que o uso da música é considerado como "paródia" e, por isso, é isento de autorização e direitos autorais.

continua após publicidade

O caso toma essa direção, pois, de acordo com o advogado Sidney Sanches, presidente da comissão de direito autoral da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e conforme matéria do g1, o direito brasileiro dá espaço à paródia para assegurar liberdade de expressão e o humor no debate público.


Fonte: g1.