Região

Plano Safra 20/21 para agricultura familiar frustra expectativas

Uma redução maior na taxa de juros, valorizaria quem realmente garante segurança alimentar do país

Da Redação ·
Ilustração
fonte: TN Online
Ilustração

Desde a semana passada, produtores rurais já podem acessar os recursos para financiamento nos bancos que operam com crédito rural e nas cooperativas de crédito através do novo Plano Safra 2020/2021. Nos financiamentos para produtores na linha Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), a taxa anual de juros é de 6% para custeio e de 7% para investimento. 

continua após publicidade

Para a agricultura familiar as   taxas de juros do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), ficarão entre 2,75% para o Mais Alimento e 4% ao ano para as demais linhas de crédito. Enquanto os juros do Pronamp as taxas diminuíram de 8% para 6% ao ano, para a agricultura familiar de 3% para 2,75.

Segundo Donizete Pires, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ivaiporã a expectativa da agricultura familiar era de taxas abaixo de 2%.  “Por conta da taxa Selic que teve redução a níveis bem baixo, acreditávamos numa redução maior dos juros, e isso não aconteceu. Em épocas que a taxa Selic era em torno de 15% nós tínhamos um juro mais ou menos neste patamar, hoje a taxa Selic à 2.25 %, está até mais abaixo do que está sendo cobrado do produtor”.

continua após publicidade

Para ele, uma redução maior na taxa de juros, seria uma valorização  para quem realmente garante segurança alimentar do Brasil. “Mais de 70% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros é produzido pelas famílias da agricultura familiar”, avalia Pires.

Outra decepção está relacionada ao volume de recursos liberado, enquanto era esperado para o Pronaf um volume de R$ 40 bilhões foram disponibilizados R$ 33 bilhões, sendo R$ 19,4 bilhões para custeio e R$ 13,6 bilhões para investimento.  

“Precisávamos de mais recursos, com a pandemia, muitos agricultores tiveram a vida dificultada com prejuízos, e necessitam de mais recursos para se recuperarem.  Aqui na nossa região, os agricultores familiares já amargavam perdas de uma dura estiagem e com a pandemia também tiveram quedas bruscas na produção em razão de feiras que foram fechadas, e até mesmo com as suspensão das escolas, que deixaram de oferecer a merenda”. 

continua após publicidade

Linhas de crédito

O Pronaf na região de atende produtores rurais com até 30 alqueires e a renda bruta anual não pode passar de R$ 415 mil. Acima de 30 alqueires os produtores são atendidos pelo Pronamp ou outras linhas de crédito. 

Tags relacionadas: #pronaf