Adapar realiza inquérito soro-epidemiológico do rebanho bovino - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

LIVRE DE FEBRE AFTOSA

Adapar realiza inquérito soro-epidemiológico do rebanho bovino

Na regional da Adapar de Ivaiporã as amostras estão sendo coletadas em 27 propriedades
Foto por TNOnline
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Mesmo diante da grave crise sanitária causada pela pandemia de coronavírus, o Paraná vem mantendo a programação em dia para conquistar o status de Estado Livre de Febre Aftosa, Sem Vacinação. No Núcleo Regional de Ivaiporã da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), o trabalho está a todo vapor, com os profissionais em campo trabalhando para a conclusão inquérito soro-epidemiológico do rebanho bovino que é uma das etapas para certificação. 

Juliana Seixas Garcia Pelloso, médica veterinária da Adapar de Ivaiporã diz que a certificação de Estado Livre de Febre Aftosa, Sem Vacinação junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em 2021, será uma conquista muito importante que trará ganhos para o setor. “A conquista é o atestado de credibilidade da carne bovina produzida no Paraná para o mundo inteiro”.

Ela explica que o Paraná  foi dispensado da vacinação em novembro, e o inquérito  é para ser apresentado a Organização Mundial de Saúde. “São etapas que a gente segue para se tornar área livre, sem vacinação, e uma delas é o inquérito, para provarmos que não temos o vírus da febre aftosa circulando”. 

Foto: http://tnonline/
 

O inquérito soro-epidemiológico consiste na coleta de sangue de 10 mil bovinos de 330 propriedades de todo o Paraná. Na regional da Adapar de Ivaiporã as amostras estão sendo coletadas em 27 propriedades dos 22 municípios da área de abrangência da regional. “Após coletarmos o sangue, os exames são realizados utilizando o soro que enviamos para o laboratório oficial do Ministério da Agricultura”.

Além da coleta de sangue, também  foram realizadas fiscalizações em mais de 300 propriedades.  “Como não temos mais a vacinação, a gente visita as propriedades para orientar sobre a atualização do rebanho. Continua as mesmas ações, só que sem a vacina”.

Atualização do rebanho

A Campanha de atualização de rebanhos, substituiu a vacinação contra a febre aftosa no Paraná,  e neste ano em razão da pandemia começou na sexta-feira (1.º de maio) e se estenderá por sete meses, até 30 de novembro. Normalmente, a campanha teria duas etapas, uma em maio e outra em novembro.

A atualização de rebanhos deve ser realizada preferencialmente de forma on-line, por meio do site da Adapar. Nele, o produtor encontrará o banner Campanha de Atualização do Rebanho, que possibilita acesso ao sistema de comprovação. Ou pode clicar em www.produtor.adapar.pr.gov.br/comprovacaorebanho.

O atendimento presencial nas Unidades da Adapar e instituições autorizadas só será feito quando cumpridas as orientações das autoridades sanitárias de saúde pública. Após 31 de outubro, a Guia de Trânsito Animal (GTA) somente será emitida acompanhada da atualização de todas as espécies animais existentes na propriedade.

Proteção contra covid-19

Ainda segundo a veterinária Juliana, todos os servidores que trabalham no campo realizam o serviço protegidos por equipamentos de proteção contra o covid-19, além de seguir as regras de distanciamento social.

“Nós temos a nossa roupa de campo, e recebemos também o macacão impermeável para a proteção contra o covid-19,  uso de máscara, álcool gel, a gente tem todo esse cuidado para não contaminar o produtor e a gente também”, completa. 

Deixe seu comentário sobre: "Adapar realiza inquérito soro-epidemiológico do rebanho bovino"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.