Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Região

Jardim Alegre está em epidemia de dengue, afirma Sesa

.

O novo boletim divulgado nesta terça-feira (11), pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), confirma uma epidemia de dengue em Jardim Alegre, no Vale do Ivaí. Conforme informações da Secretaria Municipal de Saúde, até sexta-feira (7) passada havia 100 casos confirmados. Um novo levantamento foi providenciado pelo município para atualizar a quantidade de casos. No total, são 62 cidades em situação de epidemia em todo o Paraná, 12 a mais que o último boletim. 

A secretária de saúde de Jardim Alegre, Silvia Bovo Tsechuk realizou uma reunião nesta terça-feira (11), com os médicos para informar sobre a situação do município para que os profissionais orientem a população. Na quarta-feira (12), será feita outra reunião com os demais servidores. 

Este é o segundo município da região em surto da doença. Na última atualização divulgada, Ivaiporã, localizado a apenas 11 quilômetros de Jardim Alegre, confirmou quase 700 casos. "É uma situação emergencial que gera muita preocupação. Vamos orientar os doentes para que se mantenham hidratados para que se recuperem e os demais moradores que tenham consciência e eliminem os criadouros do mosquito", orienta. 

MORTES

Ainda conforme o relatório da Sesa, seis novas mortes foram registradas nos municípios de Jesuítas, Peabiru, Maringá, Ivatuba, Paiçandu e Sertaneja, totalizando 13 mortes no Estado. Os dados apontam 20.563 casos confirmados, 5.866 a mais que na última semana e 3.446 em investigação. O número de notificações subiu para 64.825, um aumento de 31,05% em sete dias.

CAPACITAÇÃO

A Sesa realiza uma capacitação em Maringá sobre o uso do novo inseticida de combate à dengue para os profissionais das Regionais de Saúde e municípios sede nesta terça e quarta-feira (11 e 12). O cielo será enviado pelo Ministério da Saúde e deve chegar ao Estado em março.

O evento vai ser realizado com as 22 Regionais de Saúde em duas turmas e tem por objetivo repassar o conteúdo técnico disponibilizado pelo Ministério da Saúde, com orientações e esclarecimentos sobre o manejo do produto. “Há alguns dias enviamos quatro técnicos das coordenadorias de Vigilância Ambiental e Sanitária da Sesa para receberem o treinamento sobre o uso deste novo inseticida e agora repassaremos às Regionais, que posteriormente capacitarão os municípios de sua abrangência”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Segundo a coordenadoria de Vigilância Ambiental da Sesa, o Paraná recebeu em janeiro deste ano, 19 mil litros de malathion referente ao saldo remanescente do Ministério da Saúde. “Este quantitativo não atende a todos os municípios e não é a solução para a eliminação do mosquito no Estado. O inseticida só é eficaz para eliminação de parte dos mosquitos que estão voando, ou seja, o mais importante é eliminar os criadouros que estão em sua grande maioria, nas residências”, afirmou a coordenadora Ivana Belmonte.

CIELO
O novo inseticida é composto por imidacloprido (neonicotinóide) e praletrina (piretróide). Os princípios ativos são diferentes do malathion pois vem pronto para uso em Ultra Baixo Volume (UBV) que é popularmente conhecido como “fumacê”.

De acordo com a Resolução Sesa nº 459/2014, os municípios que quiserem solicitar a utilização de UBV pesado devem protocolar um pedido documentado à Regional de Saúde de sua abrangência que após análise repassará para a Sesa.

O Estado segue as instruções do Ministério da Saúde, conforme a nota informativa nº 103, que reitera “a necessidade do uso racional do controle químico e ressalta aos responsáveis técnicos das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde que busquem, cada vez mais, incitar a realização sistemática das demais medidas de controle preconizadas antes de utilizar o controle químico”.

DENGUE MATA
O Paraná iniciou no ano passado a campanha “Dengue Mata” com o propósito de conscientizar as pessoas para a eliminação de focos do mosquito ressaltando os riscos que a doença traz. “A campanha é voltada totalmente para a necessidade de mudança de atitude da população, sobre o que cada um de nós pode fazer para combater o mosquito Aedes aegypti. Insisto que a melhor e mais eficiente forma de combater o mosquito e os criadouros é pela remoção mecânica”, informou Beto Preto.

O Governo do Paraná realizou no dia 18 de dezembro de 2019 uma mobilização de combate à dengue com a participação de 92 órgãos e instituições públicas estaduais, além de entidades da sociedade civil, organizações do setor produtivo, empresas, igrejas, clubes de serviços, sindicatos e associações. A ação envolveu também os servidores de todas as pastas para disseminar informações sobre a situação da dengue. As redes sociais e sites do Governo veicularam informações sobre as formas de combate ao mosquito transmissor, com divulgação de peças de mídia digital.

Na ocasião, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior instituiu o Comitê Intersetorial de Controle da Dengue no Paraná que foi composto inicialmente por 13 órgãos federais, estaduais e municipais, e tem a coordenação da secretaria de Estado da Saúde.



O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas de Região

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber