Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Região

Com safra reduzida, preço do milho dispara

.

Foto: Ivan Maldonado
Foto: Ivan Maldonado

O mercado de milho na regional da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab) de Ivaiporã  nesta época é o melhor dos últimos anos. A cotação da saca de 60 quilos nesta semana estava em R$ 41. No mesmo período de 2019 o preço do cereal tinha cotação de R$ 26,90, ou seja, um aumento percentual de 52,41%.  No entanto, a área do plantio nos 15 municípios da regional é a menor área ocupada com o grão na história.  

No ano passado os produtores plantaram em 4,6 mil hectares. de milho, na atual temporada 3,8 mil hectares. O agricultor Edison Carlos Potter, do Assentamento 8 de Abril, em Jardim Alegre, foi um dos poucos produtores da região que insistiu com a cultura que, segundo ele, nos últimos anos não vinha dando o resultado esperado. 

O produtor plantou 5 alqueires e a expectativa é colher em média 450 sacas por alqueire. A colheita na propriedade acontece em fevereiro. “Faz tempo que não tinha um bom resultado. Este ano o preço está ajudando e o clima também. A ideia é colher e plantar de novo o milho safrinha na mesma área, isso se o preço continuar ajudando”.

Conforme o gerente da unidade da Coamo de Ivaiporã, Domingos Carlos Fontana, uma das principais razões para a reação dos preços observada nos últimos meses decorre do baixo estoque que o país tem do cereal.

“Basicamente o milho que temos ainda em estoque é aquele proveniente da safrinha. Vários negócios durante a safrinha de 2019 foram feitos por contratos para exportação.  Nós temos ainda uma demanda extra criada pelo granjeiros e suinocultura que também está aquecida, em função das compras da China”, destaca.    

LAVOURA 
De acordo o engenheiro agrônomo Fernando Soster as poucas áreas plantadas na região estão com qualidade consideradas excelentes. “Apesar da área plantada este ano ser pequena, o milho que tem está com excelente qualidade em virtude do clima favorável até agora. Em média estamos esperando em torno de 400 a 450 sacas por alqueire”, destaca. 

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas de Região

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber