Mais lidas
Região

Telefonia mantém liderança no ranking de reclamações no Procon

.

Telefonia mantém liderança no ranking de reclamações. Foto: Sérgio Rodrigo
Telefonia mantém liderança no ranking de reclamações. Foto: Sérgio Rodrigo

Com atendimento ampliado para os municípios de Cambira e Novo Itacolomi, o Procon Apucarana concluiu o ano de 2017 com a marca histórica de 13,2 mil atendimentos. Nos 12 meses do ano, foram 1.100 consumidores, em média mensal. O setor de telefonia – fixa e celular – dominou o volume de ações dos atendentes do órgão, alcançando 8,5 mil reclamações, o equivalente a 65% dos atendimentos, seguido de problemas relacionados a serviços bancários 2,5 mil. As questões não resolvidas de imediato resultaram na instauração de 670 procedimentos e destes 540 foram resolvidos, ou seja, 80% de soluções ao consumidor.

Para o coordenador do Procon Apucarana, advogado José Carlos Balan, este volume de atendimento está diretamente relacionado à conscientização do consumidor quanto aos seus direitos. “O consumidor está muito mais atento e quando identifica estar sendo lesado por fornecedores de bens e serviços, procura o órgão para ter uma solução. Felizmente o serviço prestado ao cidadão tem resultados expressivos, pois os atendimentos de mesa, através do serviço 0800 dos fornecedores, alcançam 90% de solução imediata, satisfazendo as partes envolvidas”, salienta o coordenador.Quanto aos procedimentos instaurados, o advogado explica que são questões onde não foi possível atender de imediato ao consumidor. “Nesta situação, a empresa recebe uma notificação e o prazo de resposta é de 10 dias após o recebimento do documento. São questões relacionadas, principalmente, a troca de produto ou restituição de valores pagos, quando o objeto passou por assistência técnica e não houve resolução no prazo de 30 dias definido no Código de Defesa do Consumidor”, complementa o coordenador.

TELEFONIA
As principais operadoras de telefonia – TIM, Oi, Vivo e Claro – são as que mais movimentaram o Procon Apucarana, o mesmo ocorrendo com as instituições de crédito – bancos e financeiras. “Cobranças indevidas, falhas na prestação de serviço, descumprimento de contratos, entre outras situações obrigaram a intervenção para a solução do conflito. Os resultados são imediatos, mas causam desconforto ao consumidor, que contrata um serviço e o recebido não atende suas expectativas, exigindo a intervenção do Procon”, complementa o diretor.Em relação a financeiras e bancos, ao longo do ano o Procon Apucarana realizou negociações de dívidas relacionadas a cartões de crédito e financiamentos de veículos. “Não estabelecemos, neste ano, nenhum período especifico para renegociação de dívidas, mas todos os consumidores que buscaram liquidar ou parcelar seus débitos foram atendidos. Os resultados, na maioria dos casos, foram satisfatórios ao consumidor, pois conseguidos negociar dívidas com desconto de até 70% do valor devido”, relata o advogado.


×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber