Mais lidas
Região

Bairro ganha energia elétrica após 4 anos

.

Depois de quatro anos, os 58 moradores de uma área ocupada, em Jardim Alegre, saíram do escuro. Desde o início da semana, as famílias que residem na Vila Nossa Senhora do Rocio contam com rede de energia elétrica, instalada pela Copel. A atual administração municipal também elabora um projeto para regularização da situação das famílias que ocuparam o terreno. A área foi ocupado em 2013 e é de propriedade da Prefeitura.

O presidente da Associação de Moradores Nossa Senhora do Rocio de Jardim Alegre (Amonarja), Carlos Antônio Pedro da Silva, o Tonhão, agradece a atual administração municipal pelo empenho em atender a reivindicação. 
“Sofremos muito nos últimos 4 anos, só na luz de vela. Agora temos as ruas iluminadas. Finalmente a prefeitura conseguiu resolver um problema de vários anos”, assinala. As iluminação pública foi acionada primeiro. As ligações nas casas serão feitas pela Copel hoje. 

Ainda segundo Tonhão, além da iluminação pública, outras reivindicações dos moradores começam a ser atendidas. “Hoje nossas ruas estão cascalhadas, o serviço de coleta de lixo também passa por aqui, e o pessoal do programa de saúde está atendendo nossas famílias. Por isso, somos muito gratos ao prefeito e toda a sua equipe”, relata. 

O diarista, Carlos Antônio dos Santos comemora a instalação da rede elétrica no local. “É um sonho sendo realizado. Vai mudar para melhor a vida das crianças e de todo o pessoal aqui da vila. Estamos muito felizes”, comemora.

Segundo o prefeito José Roberto Furlan (PPS), fica a sensação do dever cumprido, da satisfação em atuar como representante da comunidade.  “Nossa meta sempre foi promover bem-estar e segurança para toda a população. Principalmente, para os que não tinham onde morar. Agora eles começam a ter um bairro urbanizado e com todos os serviços públicos possíveis”, assinala Furlan. 

REDE DE ÁGUA

Ainda segundo Furlan, o próximo passo será a regularização da área ocupada e instalação da rede de água tradada da Sanepar, outro serviço essencial que a comunidade não tem acesso. 

“Já estamos conversando com o pessoal da Sanepar e se Deus quiser em breve os moradores também terão água tratada. Também estamos preparando a documentação, e dentro da legalidade vamos regularizar esse imóvel para os moradores”, completa Furlan.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber