Mais lidas
Região

Neuropsicopatologia é debatida em Ivaiporã por profissionais da área 

.

A Prefeitura de Ivaiporã, por meio do Departamento Municipal de Educação e da Clínica Tassinari de Psiquiatria, realizou o I Ciclo de Palestras da Região com a temática: “Neuropsicopatologia e a Interface com a Educação - uma visão multidisciplinar”, com apoio da Associação Paranaense de Psiquiatria.

I Ciclo de Palestras foi realizado, na sexta-feira, dia 20 de outubro, no salão da Paróquia Espírito Santo. A mesa de honra foi composta pelo vice-prefeito de Ivaiporã, Ilson Gagliano; diretora do Departamento Municipal de Educação, Rose Sirço; psiquiatra Paulo Tassinari; vice-presidente da Associação Paranaense de Psiquiatria, Júlio Dutra; assistente da chefia do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Ivaiporã, Sara Rodrigues; vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Joice Santos; e pelo gerente da Uniprime, Jaime Silva.

A abertura foi feita por Rose Sirço, que deu as boas-vindas ao público alvo do evento, mencionando a parceria com o psiquiatra Paulo Tassinari e com a Associação Paranaense de Psiquiatria. Em seguida, Júlio Dutra defendeu que o processo de educação continuada deve ser exercido na maioria das áreas. “O tempo associado à modernidade causa estresse e problemas diários, por isso, a psiquiatria pode ajudar”, lembrou.

Em nome da administração municipal, Ilson Gagliano parabenizou o Departamento Municipal de Educação e a Clínica Tassinari de Psiquiatria pela realização do I Ciclo de Palestras da Região. O vice-prefeito reconheceu que é importante debater a neuropsicopatologia nas áreas social, escolar e na família. “Não podemos deixar apenas a cargo do serviço público a resolução de alguns problemas relacionados a doenças mentais. É preciso promover mais encontros e debates, visando informar a sociedade”, declarou Ilson Gagliano.

O psiquiatra Paulo Tassinari explicou que a meta foi oferecer informações que geralmente se restringem aos profissionais da área da saúde mental. “A população precisa ser informada acerca das doenças mentais. Normalmente, o paciente que é atendido no serviço público recebe medicamentos, mas não ouve explicações sobre a doença a ser tratada. Particularmente, gosto de explicar ao paciente o que estou tratando, assim ele também me ajuda a obter o resultado ideal”, referiu o psiquiatra.

A organização também convidou o psicólogo Marcos Vinicius Teixeira Paim, que explicou a “Saúde Mental na Educação”; coordenadora da Educação Especial do NRE de Ivaiporã, Débora Cristina de Freitas Albertin, para apresentar o tema “Deficiência no Contexto Escolar”; psiquiatra Felipe Pinheiro de Figueiredo, que falou acerca da “TDAH e Inclusão na Escola de Ensino Regula”; e psiquiatra Raquel Santana Proença para falar sobre “Transtorno de Humor – entender para poder atender”.

No final, os palestrantes se dispuseram a esclarecer dúvidas dos profissionais da área e dos professores.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber