Mais lidas
Região

Rato do banhado é encontrado na área urbana de Ivaiporã

.

O roedor foi visto por uma pessoa no conjunto habitacional Mourão Filho. Foto: Ilustração
O roedor foi visto por uma pessoa no conjunto habitacional Mourão Filho. Foto: Ilustração

Uma equipe de técnicos do Departamento de meio ambiente da prefeitura de Ivaiporã capturou na quinta-feira (3) um rato do banhado. O roedor foi visto por uma pessoa no conjunto habitacional Mourão Filho. O animal passou por uma avaliação de técnicos do meio ambiente e na sequencia reintroduzido em uma reserva ecológica do município.

De acordo com Marcio Zanardo, do departamento de meio ambiente, o animal foi encontrado na Av. Café Filho, na imediações da Paroquia Espirito Santo, e se encontrava na calçada em frente a uma residência. Para a captura foi usado pinças, cambão e gaiola de contenção.

“Ele ficou um pouco agressivo, já que se trada de um animal selvagem. Mas, conseguimos realizar a captura rato do banhado sem agressão ou ferimentos”, relata Zanardo. O roedor foi reintroduzido em uma mata nas proximidades do Rio Pindauva.

Segundo o secretário de Meio Ambiente Jayme Ayres, a presença de animais silvestres em áreas urbanas tem sido uma preocupação crescente. “Isso em função que algumas matas estão sendo preservadas, formando inclusive o corredor da biodiversidade, principalmente nas áreas de mata ciliar”.

Conforme o secretário, os animais mais vistos na área urbana são os gambás, animais que se adaptam bem às condições urbana. “Pois costumam buscar comida e abrigo dentro de casas, escolas e outras construções”, observa Ayres. Nas matas ciliares da região também são vistos muitos macacos prego, quatis, paca e capivara.  “Em outros casos, mais raros, felinos de porte médio como a jaguatirica”, relata Ayres.

Recentemente moradores da localidade de Sabugueiro, relataram a presença de uma onça. Ainda segundo o secretário em muitos casos, o resgate não é necessário porque geralmente eles retornam para a mata. “É importante que as pessoas ajudem a preservar, não matem e não capturem. A orientação é que, se o animal estiver oferecendo algum risco, ou causando algum dano, a pessoa contate o Departamento de Meio Ambiente, ou a Polícia Ambiental”, assinala Ayres


×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber