Região

Cerca de 950 pacientes já receberam atendimento no Caps AD em Apucarana

Da Redação ·

Cerca de 950 pacientes já foram atendidos, em Apucarana, através do Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (Caps - AD) Dr. César Guerzoni. O espaço tem como objetivo o tratamento de pessoas usuárias de bebida alcoólica e substâncias psicoativas (crack, maconha, cocaína, entre outras).

continua após publicidade

Mantido pelo município de Apucarana, o tratamento não tem custo algum ao paciente. "Atendemos alcoolistas e dependentes químicos de ambos os sexos, gratuitamente. O Caps é um espaço que ajuda muitas pessoas a realizar o tratamento adequado. Prestamos atendimento médico, psicológico, psiquiátrico e de assistência social visando a sua socialização e recuperação", explica o secretário Municipal de Saúde, Dr. Ribamar Leonildo Maroneze.

Segundo ele, o tratamento realizado pelo Centro tem um grande diferencial. "Não tiramos a pessoa do seu convívio familiar e social. Não fazemos aqui na sede de Apucarana, internamento com pernoite. O atendimento da entidade é feito em três modalidades apenas durante o seu horário de funcionamento", detalha o secretário de Saúde.

continua após publicidade

Tratamento - O tratamento é disponibilizado, segundo a coordenadora do Caps AD, enfermeira Maria Ângela Takaki, nas modalidades intensivo (diário), semi-intensivo (algumas vezes na semana) e não intensivo (apenas consultas). "Atualmente contamos com 15 pacientes em tratamento intensivo. Eles chegam ao Caps às 08 horas e permanecem até às 17 horas participando de várias atividades como artesanatos, grupos terapêuticos, atividades físicas, oficinas terapêuticas, oficinas de educação e saúde e oficinas de culinária. Também realizamos o atendimento individual e em grupo e fazemos reuniões familiares", detalha a coordenadora. Ela explica ainda que as peças de artesanato confeccionadas pelos usuários durante o tratamento intensivo são comercializadas e a renda é revertida para a compra de material e realização de diversas atividades. "Com esse incentivo, estamos incluindo os pacientes novamente no mercado de trabalho", completa Maria Ângela. Os pacientes encaminhados ao tratamento intensivo recebem ainda três refeições diárias: café da manhã, almoço e café da tarde. "Mensalmente disponibilizamos também cinco vagas para internamento em outros domicílios, quando necessário", declara.

Para o ingresso no Caps não é preciso encaminhamento. "Muitos pacientes chegam ao Centro através das Unidades Básicas de Saúde, por instituições sociais e até mesmo pelo incentivo da família. Mas, frisamos que o encaminhamento através das UBS e outros meios não são necessários. Depois de passarem pela triagem realizada pela equipe multidisciplinar, o paciente realiza a consulta médica e é devidamente encaminhado para as modalidades de tratamento. Baseamos nosso trabalho no tripé: diagnóstico, tratamento e reinserção social. Solicitamos apenas que os pacientes ao se dirigirem ao Caps tragam documentos de identidade, CPF e o Cartão Nacional do SUS", esclarece a coordenadora.

Estrutura - O Centro disponibiliza quatro consultórios, uma sala administrativa, sala de recepção, um refeitório, quatro leitos para atendimentos de rotina (não para internamento), duas salas para oficinas ocupacionais, uma cozinha, cinco banheiros e farmácia básica de medicamentos. Além disso, uma área aos fundos é disponibilizada para as atividades de terapia envolvendo o trabalho com hortaliças.

Profissionais - A equipe do Caps AD é composta por médico psiquiatra, enfermeira, assistente social, psicóloga, artesão, auxiliares de enfermagem, administrativo e serviços gerais. O Caps está localizado na Rua Érico Veríssimo, 127 - Bairro 28 de Janeiro - próximo ao Colégio Estadual Isidoro Luis Cerávolo. Informações 3901 1048. O atendimento é gratuito e o espaço funcionará de segunda a sexta-feira das 8 às 17 horas.