Região

Requião lança programa de combate à violência infantil

Da Redação ·
O governador Roberto Requião lançou nesta segunda-feira (9), em Curitiba, o Programa Atitude, iniciativa da Secretaria da Criança e da Juventude em parceria com as prefeituras de dez municípios paranaenses. Com um investimento de R$ 48 milhões do Tesouro Estadual, do Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), o Programa Atitude tem como foco a superação das violências infanto-juvenil. Mais de 20 mil crianças e adolescentes serão beneficiados em todo o Paraná até o final de 2010.
continua após publicidade
Durante o lançamento do programa, Requião fez uma análise da conjuntura econômica mundial e lembrou que as crianças e jovens também são vítimas deste cenário. "Nós estamos vivendo uma crise. Não é o problema do menor abandonado, é do menor sem emprego. Ele pode se preparar, mas não vai encontrar uma vaga no momento em que o mundo demite", analisou. O governador lembrou que a crise econômica e a exclusão estão relacionadas ao modelo de desenvolvimento. "É preciso que a gente entenda que esta crise não é episódica, não é epidérmica. Esta crise tem origem no modelo de desenvolvimento, no modelo social. Enquanto não mudarmos este modelo, tudo o que fizermos não será suficiente. Se as coisas continuarem como estão, vamos precisar cada vez mais de mais recursos e, ainda assim, a questão central da exclusão não será resolvida".
continua após publicidade
Para o governador, ações como o Programa Atitude são importantes para politizar os jovens para que eles possam se integrar do movimento de transformação administrativa, política e social do País e do mundo. "Só a consciência política resolve o problema como um todo. Serão R$ 48 milhões investidos nas crianças e nos jovens, em projetos de integração, de inclusão social, mas, basicamente, em projetos que elevarão a consciência desses jovens todos", enfatizou Requião. A secretária da Criança e da Juventude, Thelma Alves de Oliveira, explicou que as ações do Atitude vão se basear em eixos como o fortalecimento das famílias, combate ao uso de drogas, combate à evasão escolar, criação de oportunidades de esporte, cultura e lazer, cursos profissionalizantes e a criação de redes de proteção para crianças e adolescentes. "É um esforço conjunto para que a gente possa mudar a situação de violência que coloca as nossas crianças em risco e que nos faz perder muitos jovens", afirmou a secretária. Thelma lembrou ainda que um dos aspectos importantes do Atitude é a participação da juventude, por meio da formação de líderes comunitários juvenis. "Os jovens que se engajarem no programa vão receber uma bolsa-auxílio para atuar em prol da comunidade onde moram", comentou a secretária, numa referência ao incentivo financeiro no valor de R$ 100,00 mensais para os jovens que se destacarem no programa.
continua após publicidade
O Programa Atitude será implementado nos dez municípios paranaenses com maior ocorrência de casos de violência infanto-juvenil, seja em situações onde crianças e adolescentes são vítimas da violência, como também nos casos em que são as autoras desses episódios. Estes municípios são: Foz do Iguaçu, Cascavel, Londrina, Ponta Grossa, Sarandi, Almirante Tamandaré, Cambé, Colombo, Piraquara e São José dos Pinhais. Diversas secretarias de Estado estão trabalhando de forma integrada no programa: Secretaria da Criança e da Juventude (Secj), Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti); Secretaria da Educação (Seed); Secretaria da Saúde (Sesa); Secretaria de Segurança Pública (Sesp); Secretaria de Administração e Previdência (Seap) e Secretaria do Trabalho, Emprego e Promoção Social (Setp), além das prefeituras e as lideranças comunitárias. ESTRUTURA - O Atitude foi proposto devido à necessidade de intervenção sobre os fatores de risco à violência, no sentido de consolidar uma rede de proteção à criança e ao adolescente formada entre todas as esferas governamentais, organizações não-governamentais e demais setores da sociedade civil. As equipes multidisciplinares do Atitude