Região

Lacen começa a fazer exames para diagnosticar a nova gripe

Da Redação ·
O Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen-PR) começou nesta semana a realizar os exames de diagnóstico da nova gripe (H1N1). Cerca de 450 amostras estão sendo analisadas e os resultados dos exames devem sair nos próximos dias.Apesar de ter iniciado as análises nos últimos dias, o processo para a validação da técnica do Laboratório começou antes mesmo da doença chegar ao Brasil, segundo o diretor da unidade Marcelo Pilonetto. Desde que foi anunciado o primeiro alerta da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Lacen já iniciou os preparativos para realizar os exames. Por ser um vírus novo, o Ministério da Saúde preferiu, a princípio, concentrar os exames em três laboratórios de referência, revelou Pilonetto. O Lacen é o quarto laboratório do País a realizar este tipo de exame e o primeiro a ser descentralizado. Neste primeiro momento o Laboratório realizará diagnósticos apenas nas amostras coletadas no Estado. Estamos com uma grande demanda de exames. Desde 16 de julho foram enviados para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) apenas as coletas dos casos graves e das mortes por insuficiência aguda grave, pois precisavam ser priorizadas. As outras amostras ficaram armazenadas no Lacen, que já estava se organizando para realizar os exames, completou o diretor. Para iniciar a prática e validar a realização dos exames, os técnicos do laboratório participaram de uma capacitação da Fiocruz na semana passada. São 20 técnicos envolvidos no processo, desde a pré-análise até a conclusão do laudo, que demora cerca de 48 horas, detalhou Pilonetto. Para a realização dos exames o Governo do Paraná investiu R$ 320 mil. Os equipamentos, que são importados dos Estados Unidos, já haviam sido adquiridos pelo laboratório em 2004 e 2006. Os exames são feitos com tecnologia de ponta, por isso a margem de acerto chega a 99%, ressaltou o diretor. O Lacen adquiriu insumos para realizar até 4.500 exames. Teremos 15 dias para normalizar os exames que estão acumulados. Passados este período vamos rediscutir se o Lacen também vai realizar exames de outros Estados. A tendência é que o número de coletas reduza, pois agora só serão coletados os casos graves, frisou.
continua após publicidade