Região

Universidade Estadual de Londrina prepara ações contra trote violento

Da Redação ·

menos de um mês do início das aulas - que começam no dia 2 de março - a Universidade Estadual de Londrina (UEL) através da Pró-Reitoria de Graduação, está preparando uma série de ações para evitar o trote violento na UEL. Essa iniciativa não é recente, considerando que desde 2006 a Universidade instituiu o Disque-Trote que funciona em tempo integral recebendo denúncias de atos violentos contra estudantes.

continua após publicidade

Mas segundo a pró-reitora de Graduação, professora Maria Aparecida Vivan de Carvalho, as coordenações dos colegiados de cursos e a Prograd encontram dificuldades quando as denúncias se referem a ações ocorridas fora do Campus, como o pedágio nos semáforos da cidade. "O deslocamento de pessoal até o centro fica mais difícil e, além disso, após a nossa abordagem eles mudam de local", explica a pró-reitora. Ela acrescenta que a abordagem é sempre educativa no sentido de evitar riscos de atropelamento, constrangimento do estudante e da população.  

 Devido a isso, a UEL resolveu criar novas medidas preventivas ao trote violento que constam da Resolução 0177/08 aprovada pelo CEPE/CA. Uma delas é que durante todo o ano as coordenações dos Colegiados de Cursos promovam uma sensibilização para que os estudantes pensem e preparem uma recepção saudável, solidária e pautada em valores éticos. "É importante, ressalta, que ações violentas contra os ingressantes podem ter uma repercussão negativa por toda a vida acadêmica do estudante, inclusive já tivemos casos de desistência e trancamento de matrícula devido a trotes violentos", disse a professora Maria Aparecida.  

continua após publicidade

A pró-reitora acrescenta também que a decisão na mudança de terminologias de "trote" por "recepção" e "calouro" por "ingressante" foi bastante positiva porque além de serem palavras pejorativas, "calouro" e "veteranos" denotam posição de hierarquia, o que deve ser evitado em um ambiente acadêmico e educativo como a universidade.  

Além disso, há uma política de conscientização dos professores para não liberar os estudantes para quaisquer atividades que não façam parte da programação de recepção dos ingressantes promovida pelos Colegiados de Cursos e organizações estudantis. Segundo a pró-reitora, Maria Aparecida, em cada Centro de Estudos foi montada uma Comissão formada pelo diretor, professor, técnico-administrativo e estudantes que terá uma ação mais efetiva no combate ao trote violento na UEL.

 "Cada comissão tem um telefone para contato que pode ser consultado na página da Prograd (www.uel.br/prograd/)", informa a pró-reitora.   Essas comissões que foram aprovadas pelo CEPE/CA terão o papel de receber denúncias e tomar as devidas providências. "Elas vão funcionar o ano inteiro com medidas permanentes e de prevenção ao trote violento". As comissões também estão organizando a recepção dos ingressantes com palestras, vídeos institucionais, atividades esportivas e artísticas e campanhas de doações de sangue e alimentos.