Região

Menor que se afogou estava sob cuidados sociais

Da Redação ·

A adolescente de 17 anos que se afogou no final da manhã desta sexta-feira, na Represa do Schimidt, nas proximidades do Jardim Marissol em Apucarana, sofre de necessidades especiais e teria fugido na tarde de ontem da casa da sua mãe social, no centro da cidade, à quilômetros de distância da represa, onde ela foi encontrada boiando.

continua após publicidade

Populares viram um corpo sobre a água e o retiraram, acionaram o Corpo de Bombeiros. Então fizeram os primeiros socorros, até a chegada da equipe de resgate que a atendeu e encaminhou para o Hospital da Providência de Apucarana, onde permanece em estado grave.

O Conselho Tutelar informou que ela foi encaminhada para cuidados de uma mãe social, por indicação do Poder Judiciário, em virtude da adolescente ter sido vítima de violência junto a sua família biológica. O Conselho informou ainda, que não foi a primeira fuga da garota, bem como logo após ser comunicado de seu desaparecimento  informou a Polícia Militar e fez buscas por ela na cidade.

continua após publicidade

Ainda o Conselho Tutelar informou, que de acordo com o boletim médico, não foi encontrado em seu corpo sinais de violência.

Mãe Social, é um programa desenvolvido pela Coordenadoria Municipal da Criança e Adolescente, setor ligado à Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Apucarana, para promover o resgate, proteção e formação para a vida de crianças e adolescentes expostos a violência e situação de risco em seus lares. Após acompanhamento do caso, pelo Conselho Tutelar, se necessário, é solicitado ao Poder Judiciário a retirada próvisória da vítima de sua casa para receber cuidados da mãe social. Estas são pessoas qualificadas e escolhidas com critérios para fornecer os cuidados necessários a estas menores. 

O Conselho Tutelar informou ainda, que neste caso a mãe social não pôde evitar a fuga da adolescente.